Adema não encontra objetos estranhos localizados por pesquisadores

0
Os objetos localizados pelos pesquisadores desapareceram em Sergipe (Foto: Luiza Cazumbá/Arquivo)

A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) não localizou os objetos estranhos encontrados no litoral sergipano por pesquisadores, que integram a equipe de monitoramento da Fundação Mamíferos Aquáticos (FMA). De acordo com informações do coordenador de Núcleo da Fundação Mamíferos Aquáticos, Bruno Almeida, os objetos encontrados foram transportados até a praia e abandonados no local porque a equipe desconhece os objetos e não sabe se eles oferecem algum risco à saúde e ao meio ambiente. Os objetos estão empacotados e são semelhantes àqueles encontrados no litoral alagoano.

De acordo com o diretor-presidente da Adema, Gilson Dias, na manhã desta terça-feira, 30, as equipes de fiscalização da administração estadual percorreram todo o litoral entre Aracaju e a Barra dos Coqueiros, mas nada de estranho encontraram. O diretor-presidente da Adema confirma a notificação da Fundação Marítimos Aquáticos e cogita a possibilidade dos objetos terem sido recolhidos por algum transeunte. “Não identificamos nem localizamos nenhum objeto estranho no litoral”, destaca.

O coordenador da Mamíferos Aquáticos garante que os objetos foram encontrados em três locais diferentes no litoral sergipano: dois em Aracaju e outro na Praia do Abaís, no município de Estância. O diretor-presidente da Adema admite que a equipe não fiscalizou a Praia do Abaís.

Ibama

O coordenador da Fundação Mamíferos Aquáticos informou que técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) também foram notificados sobre a presença destes objetos estranhos no litoral sergipano. Mas a assessoria de imprensa do Ibama informou que a instituição ainda não recebeu a notificação e que a equipe só atuará quando notificada.

De acordo com informações do coordenador da Fundação Mamíferos Aquáticos, há relatos que além do litoral alagoano, os objetos estranhos foram encontrados nos Estados do Rio Grande do Norte, Paraíba e também no Maranhão.

Por Cassia Santana

Comentários