Adoção ilegal: acusada é suspeita de fraudar o INSS

0
Jorge Eduardo: conclusão das investigações em dez dias (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O casal José Lima dos Santos Filho, 31, e Ana Nascimento Santos, 43, que tentaram adotar ilegalmente um recém-nascido em Nossa Senhora da Glória poderão responder também por fraude na Previdência Social. De acordo com informações do delegado Jorge Eduardo dos Santos Filho, regional de Nossa Senhora da Glória, Ana Nascimento se apresentou com documentação de Maria José dos Santos, que seria a mãe dela e estaria morta.

Há suspeita, segundo o delegado, que Ana Nascimento estava usando os documentos da própria mãe com outras finalidades, inclusive para cometer fraude contra o Instituto Nacional de Previdência Social (INSS), sacando ilegalmente a aposentadoria de Maria José. “Isso será também alvo de investigação”, ressaltou o delegado, que pretende concluir o inquérito em dez dias, prazo estabelecido em lei quando se trata de flagrante. 

Destino do bebê

O casal permanece preso à disposição da justiça e o destino do bebê já foi decidido. A adolescente e a criança já receberam alta médica e estão juntas, atendendo determinação do juiz Karlos Max Araújo Alves, da Comarca de Nossa Senhora da Glória, segundo informações do delegado Jorge Eduardo.

De acordo com informações do delegado, a adolescente se internou com documentos de Ana Nascimento, que é bem mais velha que ela. O acusado José Lima se apresentou como esposo da adolescente [usando a certidão de casamento dele com Ana], justificando que, no documento, teria ocorrido um erro de digitação quanto à data de nascimento da adolescente.

A declaração de nascido vivo já havia sido emitida na Sala de Parto do hospital em nome do casal José Lima e Ana Nascimento. Mas as divergências quanto à idade, despertaram desconfiança e os funcionários do hospital acionaram a polícia.

Segundo o delegado Jorge Eduardo, a mãe da adolescente, que pariu o bebê no Hospital de Glória, já compareceu à delegacia e demonstrou disposição para cuidar do neto. No primeiro momento, cogitou-se a ideia de colocar o bebê em um abrigo em Aracaju, onde reside a mãe. Mas, em comum acordo com o Conselho Tutelar, com a equipe técnica da assistência social do município e o aval do juízo ficou estabelecido que a criança ficará com a mãe e a avó até o final das investigações, conforme ressaltou o delegado Jorge Eduardo.

José Lima permanece preso na Delegacia Regional de Nossa Senhora da Glória e Ana Nascimento na Delegacia da Barra dos Coqueiros, destinada a mulheres.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais