Aluno acusa Academia de Bombeiro Civil de propaganda enganosa

0

Allan diz que Lei não especifica quantidade de profissionais
Após um ano sem respostas, o bombeiro civil Allan Silva decidiu entrar com um processo contra a Academia Brasileira de Bombeiro Civil por propaganda enganosa, reparação de danos e danos morais. Aluno da primeira turma aberta no Estado, ele reclama da falta de regulamentação da carreira no Estado e da falta de validade do diploma.

“Quando começamos na turma, não se falava dessas irregularidades. São mais de 2 mil pessoas prejudicadas. Essa escola fará um ano em Aracaju dia 18/5 e até agora estamos de mão atadas”, indigna-se Allan. Aprovado em dezembro do ano passado na Assembléia Legislativa, a Lei que torna obrigatória a presença de Bombeiros Civis nas empresas sergipanas aguarda sanção do governador Marcelo Déda. “Mas nele não há as especificações sobre a quantidade de profissionais que cada empresa deve ter”, afirma.

Alan conta, ainda, que o diploma não é reconhecido em Sergipe e nem no restante do país e que, portanto, nem mesmo o Sindicato da categoria pode ser reconhecido. “Na DRT [Delegacia Regional do Trabalho] não há nada sobre a escola nem o sindicato. Essa instituição enganou os alunos. Pagamos para ter um retorno, acreditamos na imagem que nos passaram da profissão”, acrescenta.

Procurado pela equipe do Portal Infonet, o proprietário da Academia Brasileira de Bombeiro Civil não foi encontrado. A informação repassada por um atendente é de que ele está viajando.

Comentários