Bairro Dom Luciano tem mutirão de combate ao mosquito da dengue

0
O Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) do ano, realizado entre 4 a 8 de janeiro, apontou que o índice de infestação geral de Aracaju passou de 0,9 (registrado em novembro), para 1,0 (Foto: Ascom/SMS)

Em mais um mutirão para o combate ao Aedes aegypti, a Prefeitura de Aracaju, esteve neste sábado, 6, no bairro Dom Luciano. Por meio do trabalho coordenado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com o apoio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), as equipes orientaram a população e eliminaram focos do mosquito, através das visitas domiciliares, varrição e capinagem, bem como da coleta de resíduos encontrados em terrenos e vias públicas no bairro.

O gerente do Programa de Controle do Aedes aegypti da SMS, Jeferson Santana (Foto: Ascom/SMS)

O Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) do ano, realizado entre 4 a 8 de janeiro, apontou que o índice de infestação geral de Aracaju passou de 0,9 (registrado em novembro), para 1,0. Dessa forma, a capital mudou de faixa na classificação de baixo risco, passando para médio risco no aparecimento de surtos ou de epidemias.

“O bairro Dom Luciano, que estava com índice de infestação zerado, aumentou para 2,1, estando entre os cinco bairros com maior índice, e isso fez com que incluíssemos essa localidade no cronograma de mutirões. Os cinco bairros que sofreram alta no novo LIRAa são: 18 do Forte, que passou de 1,1 para 2,4; Cidade Nova, que antes apontava 2 e subiu para 2,4; São José, que antes registrava 2,0 e passou para 2,2; e o bairro Suíssa, que foi 1,4 para 2,0”, explica.
É importante não acumular água limpa e parada sem a cobertura adequada, tanto em reservatórios, como caixas d’água, baldes e lavanderias, quanto em vasos de plantas e bebedouros de animais. E em casos onde a pessoa apresente sintomas de febre, dor de cabeça, manchas avermelhadas na pele e dores articulares, a orientação é buscar o serviço de saúde o quanto antes. Na Unidade Básica de Saúde, o caso vai ser notificado e a equipe do Programa Municipal de Combate ao Aedes irá direcionar as ações e realizar o bloqueio de transmissão.
Cuidados
Para eliminar criadouros, os cuidados são simples: manter os reservatórios bem fechados; fazer a manutenção correta dos locais que acumulam água, como piscinas e bebedouros de animais; cuidar para manter lixeiras fechadas e fazer o descarte correto do lixo ou entulho; guardar pneus e garrafas em local coberto ou fazer o descarte correto; colocar areia nos pratos das plantas; e fazer a limpeza e a manutenção correta das calhas.
Colaboração
“É importante destacar que o mutirão não diminui a responsabilidade do cidadão, que precisa ficar atento ao acúmulo de água em casa. Orientamos o morador a fazer uma busca detalhada no imóvel e, em uma possível identificação de algo de risco, ele possa fazer o controle. A mudança entre sol e chuva geralmente leva ao acúmulo de água, daí, é importante que o morador perceba a característica desse depósito e elimine”, alerta Jeferson.
Fonte: PMA
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais