Comerciantes estão preocupados com a situação da Orlinha da Coroa do Meio

0

Principal reclamação dos comerciantes é quanto à poluição sonora (Foto: Arquivo Infonet)
O promotor de Meio Ambiente Renê Erba requisitou na manhã desta quarta-feira, 1º, em audiência no Ministério Público Estadual, que a Adema e a Deso fiscalizem na próxima segunda-feira, 6, a origem de um esgoto a céu aberto na Orlinha da Coroa do Meio. A solicitação foi feita após relatos de comerciantes do local que reclamam, além disso, das condições de segurança e da poluição.

No caso da poluição sonora o abuso parte tanto de alguns bares como dos próprios freqüentadores do local, utilizando-se do som automóveis. Um quiosque abandonado ao lado do farol também preocupa os comerciantes, pois o espaço é utilizado para diversos fins. O lixo que se acumula na região e um esgoto a céu aberto contribuem para o desagrado. O proprietário de um dos bares diz, inclusive, que já chegou a ser ameaçado quando pediu para que uma pessoa desligasse o aparelho de som do automóvel.

A solicitação dos comerciantes é que haja no local um ponto de fiscalização da Polícia Militar. No entanto, um dos representantes do Comando de Policiamento da Capital confirmou que no momento não há equipe de fiscalização, mas atende a todos os chamados feitos pelo Ciosp. A Deso explicou que o esgoto a céu aberto pode ser resultado da falta de manuntenção das caixas de gordura instaladas na área, ou mesmo por algum erro de ligação dela à rede coletora.

No termo de audiência o promotor pode solicitar à Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e ao Comando de Policiamento da Capital que atuem em conjunto na fiscalização da área. O despacho da decisão será feito nesta quinta-feira, 2.

Comentários