Desemprego causa impacto nas vendas de fim de ano

0

A expectativa era um crescimento de 6% nas vendas de fim de ano. Mas, a realidade vivida pelos comerciantes foi desanimadora. O comércio varejista, no final do ano, registrou um crescimento de apenas 3%, metade do esperado. Segundo Gilson Figueiredo, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas ( CDL), a frustração no crescimento das vendas durante o fim do ano se deveu ao fato de o consumidor estar apertado, a alta taxa de desemprego. “Não houve crescimento no poder aquisitivo das pessoas e a classe média continua sendo achatada”, explica Gilson.

 

A previsão para 2006 é otimista, já que é um ano eleitoral, portanto, se gasta mais. E também devido aos investimentos que o governo federal já anunciou na recuperação das estradas, em todo o país.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais