Estado deve aproveitar para recuperar rodovias estaduais

0

Sergipe não está incluído na primeira fase do Programa Emergencial de Trafegabilidade e Segurança nas Estradas, que está gerando polêmica entre os governos estaduais e o governo federal. Porém, o Estado tem verbas destinadas e já licitadas para a recuperação das BRs 101 e 235. Um outro ponto de preocupação, porém, ainda é com as rodovias estaduais.

 

De acordo com motoristas e alguns políticos, como o deputado federal Jackson Barreto, a situação é caótica. “Nós não temos muito o que falar, agora, sobre as estradas federais. Temos que começar a olhar para as rodovias estaduais. Elas estão destruídas e acho que basta que o governo do Estado assuma sua responsabilidade com as rodovias”, disse.

 

Em julho de 2005, o deputado estadual Jorge Araújo já havia criticado o abandono dessas estradas, criticando, principalmente, a quantidade de buracos. Tanto Jackson quanto Alberto citaram um fato: o número de acidentes que vêm acontecendo, motivados pela estrutura do asfalto.

 

“As estradas estaduais, por exemplo, estão tomadas por buracos, colocando em risco a vida dos motoristas. Enquanto os motoristas correm riscos, o governador João Alves Filho sai da capital de helicóptero para visitar o interior. Vai ver que é por isso que ele desconhece a situação das rodovias Canindé-Ribeirópolis, Dores-Capela e Graccho Cardoso-Itabi”, disse o deputado na entrevista de julho.

 

Licitações – Do lado do governo, algumas obras já devem começar a ser licitadas. No dia 10 de fevereiro deste ano, por exemplo, o Departamento Estadual de Infra-Estrutura Rodoviária de Sergipe (DER-SE) vai abrir uma licitação para serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem, sinalização e obras complementares para a restauração da rodovia de ligação do povoado Rita Cassete ao município de São Cristóvão. A via tem extensão aproximada de 6 km.

 

Mas as meninas dos olhos do governador parecem ser mesmo as pontes Aracaju-Barra e a Aracaju-Itaporanga (que vai ligar o Mosqueiro à Caueira). Como nem só de pontes vive o homem, outras obras também já estão marcadas para serem licitadas, entre elas a implantação da rodovia de ligação entre Neópolis e Ilha das Flores (15km) e obras nas rodovias se-325 e se-179, no trecho Carira – Nossa Senhora da Glória (46,50km).

 

União – Voltando à polêmica do governo federal, o Programa Emergencial de Trafegabilidade e Segurança nas Estradas visa recuperar a malha rodoviária federal de quase todo o Brasil. Sergipe também foi incluído no projeto, mas não fará parte da primeira fase. Nela, os governos estaduais teriam que disponibilizar recursos em conjunto com a União.

 

Em 2002, o governo federal baixou a Medida Provisória 82, que transferia 14,5 mil quilômetros de rodovias federais para o controle de 15 Estados brasileiros. Os Estados receberam R$ 1,8 bilhão para a manutenção destes trechos, mas ao que parece, os recursos não foram aplicados nas obras. Daí, a União estaria dividindo os custos para evitar o que aconteceu no passado.

 

O problema é que Estados como o Rio Grande do Sul e Minas Gerais não admitem co-participação monetária no Programa. Para Jackson Barreto, a iniciativa do presidente Lula é “oportuna e feliz”, mas o presidente não pode ser responsabilizados pelo descaso dos governos estaduais. “No momento em que Lula toma a iniciativa, os governadores demonstram que não têm formação patriótica de colaborar. Fica difícil de acreditar num sistema federativo de governo quando isso acontece”, desabafou.

 

Sergipe – No menor Estado do país, serão recuperadas as BRs 101 e 235. A primeira será totalmente revista, com operações no trecho que começa na divisa de Alagoas e termina na Bahia. Já a 235 terá obras efetuadas a partir da entrada de Aracaju até a divisa com a Bahia. Toda a extensão das duas rodovias já foram licitadas, com um investimento no valor de R$ 2.180.000.

 

Por Wilame Amorim Lima

Da Redação do Portal InfoNet

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais