Ex-presidiário morre em circunstâncias misteriosas no Huse

0
Laudo do IML ainda não foi concluído (Foto: Sejuc)

Um ex-presidiário morreu em circunstâncias misteriosas no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Ele estava preso, acusado por furto, custodiado no Cadeião de Nossa Senhora do Socorro e, segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Justiça e de Proteção do Consumidor (Sejuc), ele teria passado mal há cerca de um mês e deixou o presídio para receber atendimento médico. Mas nas informações contidas na ficha do Huse encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) atesta que a vítima sofreu traumatismo craniano, levantando suspeitas de ter ocorrido pancadas na cabeça.

Segundo a Sejuc, o detento foi colocado em liberdade, posterior à internação, beneficiado por alvará de soltura conquistado por um advogado junto ao Poder Judiciário de Sergipe. O que teria inviabilizado o acompanhamento do estado de saúde dele.

Na quinta-feira, 9, ele morreu no Huse. Como no documento encaminhados pelo Huse ao Instituto Médico Legal (IML) destaca a informação que o homem sofreu traumatismo craniano, segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública, o caso será investigado pela polícia. Ele estava sem documentos oficiais, mas o exame papiloscópico, das impressões digitais, o identificaram como Célio Lima dos Santos.

Os familiares estiveram no IML e reconheceram o corpo. Segundo a SSP, um rapaz que se apresentou como filho da vítima está sem compreender as complicações que tiraram a vida de Célio Lima e confirmou, aos servidores da secretaria, que o pai estava preso no Cadeião de Nossa Senhora do Socorro, acusado por envolvimento com furto, e estava internado há mais de um mês no hospital.

Sem registro de violência

A assessoria de imprensa da Sejuc confirmou a versão de que Célio Santos chegou ao Cadeião de Nossa Senhora do Socorro por furto e que há cerca de um mês teria passado mal e encaminhado ao Huse. Mas não há registro de violência física neste caso, conforme a assessoria da Sejuc. Nos registros do Cadeião, de acordo com a assessoria da Sejuc, há apenas a informação de que o detento teria passado mal há cerca de um mês e conduzido para o Huse.

A assessoria da Sejuc informa ainda que Célio teria sido contemplado com alvará de soltura e colocado em liberdade, ainda quando ele estava no Huse, ficando a direção do presídio sem ter informações sobre o estado de saúde dele.

Como há informações na ficha do Huse com destaque para traumatismo craniano como possível causa da morte, levanta-se a suspeita de agressões físicas, conforme informações da assessoria de imprensa da SSP. O laudo do IML ainda não foi concluído. Mas a assessoria da SSP antecipa que o caso será investigado pelo Departamento de Homicídio e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Por Cassia Santana

Comentários