Incêndio destrói câmara frigorífica de fábrica

0
Câmara frigorífica destruída pelo fogo (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

Um incêndio destruiu a câmara frigorífica de uma fábrica de massas de pastéis e de pizza instalada no Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro. O empresário Rubens Cláudio Silva não tem dúvida que se trata de uma ação criminosa e denuncia a insegurança que o empresariado instalado naquela área enfrenta.

De acordo com o empresário, o incêndio só foi percebido na manhã desta sexta-feira, 14. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada, que arrombou o cadeado e debelou o fogo, mas a câmara frigorífica já estava totalmente destruída.

“Estou desolado, preciso me recompor emocionalmente para ver o que vamos fazer”, desabafou o empresário.Assaltos, furtos e roubos na região tornaram-se corriqueiros, segundo os empresários. A família de Rubens Cláudio, por exemplo, já foi alvo de assalto na porta da fábrica. “Um homem armado chegou na hora que estávamos saindo, tomou a bolsa da minha mãe e levou celular e dinheiro”, conta o empresário. Além deste episódio, o novo galpão que está sendo construído para absorver toda a fábrica que está funcionando em um prédio próximo tem sido alvo de constantes arrombamentos.

Estava naquele novo galpão a câmera frigorífica recentemente adquirida pelo empresário no valor de R$ 80 mil. “Tem sido constante a invasão aqui”, relata. Em diferentes momentos, segundo o empresário, os marginais roubaram toda fiação que já estava sendo instalada no novo prédio e até o medidor de energia elétrico já foi furtado. “E agora como não tinha mais nada para roubar, eles incendiaram a câmera frigorífica”, ressaltou. “Não tenho dúvida que foi um ato criminoso”.

Rubens Cláudio está desolado

A Associação das Empresas do Distrito Industrial de Socorro (Assedis) já tentando uma audiência com representantes do 5º Batalhão da Polícia Militar para encontrar alternativas que possam coibir a criminalidade naquela região. O presidente da Associação, Domingos Luís Silva Lima, conhecido como Pingo, defende iniciativas conjuntas do poder público, incluindo as polícias militar e civil, o Poder Judiciário e a própria sociedade para enfrentar o problema.

“Não é só culpa da polícia porque a polícia prende e logo estão soltos e voltam a roubar porque sabem que passam pouco tempo preso”, ressaltou. “Tem que haver uma ação conjunta, de todos, da polícia, da justiça… porque esta engrenagem não está funcionando”, ressaltou.

O Portal Infonet tentou ouvir o comandante do 5º Batalhão da PM, mas não obteve êxito. O Portal Infonet permanece à disposição do comando. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

* A matéria foi alterada às 9h42 para correção

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais