Mãe acusa policiais da RP de agressão

0

Uma

Menor teria sido agredido por policiais da RP
mulher acusa policiais da Radio Patrulha de espancarem o filho menor de idade na última sexta-feira, 16, no Conjunto Jardim, em Nossa Senhora do Socorro. De acordo com Gilvânia de Oliveira, os policiais agrediram o jovem de 16 anos, identificado como A.O.S.

“Meu outro filho de 22 anos namorou com a neta dessa vizinha e o novo namorado dela não deixa ele sossegado”, desabafou.
Segundo Gilvânia, o filho é agredido verbalmente toda vez que passa pela frente da residência. “A avó dessa menina ainda toma as dores do namorado da neta quando meu filho revida os xingamentos”, explica.

Gilvânia informou que a vizinha é amiga de um dos policiais e que toda vez que acontece algo, a senhora aciona o homem. “Ela ligou direto para o policial e eles chegaram aqui procurando meu filho, que já tinha saído de casa depois da discussão”, revela Gilvânia.

A mãe ainda revelou que a vizinha teria saído com os policiais a procura do seu filho mais velho. “Ela entrou na viatura e foi procurar meu filho pelo conjunto, só que eles encontraram apenas o meu filho mais novo, que não tinha nada com a história”, relata.

De acordo com Gilvânia, os policiais ameaçaram e agrediram o menor. “Eles perguntaram ao menino se ele iria dizer onde estava o irmão ou se iria preferir fazer um passeio com eles. Só que meu filho não sabia onde estava o irmão, daí eles começaram as agressões”, explica a mãe.

Agressão

Gilvânia relatou a equipe do Portal Infonet que seu filho foi espancado até perder os sentidos. “Eles deram um soco na barriga do meu filho que ele acabou desmaiando e, mesmo caído no chão, os policiais continuaram as agressões”, acusa.

A mãe inconformada com as agressões sofridas pelo filho foi até o Instituto Médico Legal (IML) realizar exame de corpo de delito, para que sejam tomadas as devidas providências. “Vou prestar uma queixa na delegacia e vou procurar as autoridades responsáveis, pois isso não pode ficar assim”, desabafa.

PM

De acordo o Tenete Maykel, da assessoria de comunicação da polícia Militar, oficialmente a denúncia ainda não foi feita. “Tomei conhecimento do fato apenas pela imprensa e a orientação é que ela procure a ouvidoria Centro de Atendimento ao Consumidor (Ceac), no Shopping Riomar, onde ela deverá prestar um depoimento”, informou o tenenete

Tenente Maykel ainda ressaltou que a senhora está fazendo a coisa certa. “Ela está correta em procurar o IML para fazer os exames, mas em caso de agressões a nossa orientação é que ela também procure a ouvidoria”, finalizou.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais