Moradores de galpão sem água há 15 dias

0

Os dois galpões abrigam 20 famílias que aguardam moradia  
Moradores de um dos galpões alugados pela Secretaria de Estado Inclusão, Assistência e Desenvolvimento (Seides) para abrigar famílias sem teto estão sem água há 15 dias. Segundo eles a secretaria já teria efetuado o pagamento da conta que estava em atraso e estão aguardando somente a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) restabelecer o fornecimento.

“O que está faltando para religar a água ninguém sabe”, afirma um dos moradores, Edinaldo de Jesus. Enquanto isso as 10 famílias que vivem em um dos galpões da rua Espírito Santo, no bairro Siqueira Campos, estão tendo que contar com a ajuda dos moradores do galpão vizinho, de onde retiram a água.

Luanda e um dos filhos pequenos: é preciso armazenar água
Quando precisa lavar pratos, roupas ou mesmo dar banho em seus dois filhos pequenos, a jovem Luanda Silva Inácio tem que recorrer aos vizinhos. “Eles permitem que a gente vá lá lavar as coisas, mas sempre tenho um balde com água pra alguma necessidade”, afirma, mostrando a pilha de roupas sujas que precisa levar para o galpão ao lado para lavar. “Só não dá para ficar indo toda hora pra não incomodar”, explica.

Por conta da falta de água o único banheiro do local foi interditado, e hoje as 80 pessoas que vivem nos dois galpões precisam compartilhar os dois banheiros do galpão que não teve o abastecimento cortado. A expectativa desses

Famílias têm que se virar como podem
moradores é que o fornecimento seja restabelecido ainda nesta terça-feira, 18.

Histórico

Há quatro meses cerca de 20 famílias que viviam num galpão na rua Amapá junto com outras cem famílias foram retiradas do local, por conta do superlotação, e levadas para dois galpões no mesmo bairro. Todas são provenientes do Hotel Brisa Mar que foi invadido pelos integrantes do Motu que lutam por moradias para os sem teto. Há mais de um ano eles aguardam as casas que foram prometidas pelo Governo do Estado.

Comentários