Motoristas reclamam de engarrafamento e tumulto na Av. Beira Mar

0

Voltar para casa depois de um dia de trabalho tem se tornado uma dor de cabeça para alguns aracajuanos. Desde que a Av. Beira Mar, uma das mais movimentadas da cidade, começou a ter trechos interditados para reposição asfáltica, o trânsito ficou lento, produzindo engarrafamentos a perder de vista, principalmente em horários de pico. Motoristas ouvidos pelo Portal Infonet disseram que além de perder ainda mais tempo no trânsito, são obrigados a lidar com o tumulto causado pelas filas de carros.

Erick reclama da falta de organização do trânsito (Foto: Portal Infonet)

“Estou indo para o shopping, mas já estou há um tempo aqui no trânsito”, relata Erick Santos. Segundo ele, a espera além do habitual virou rotina. “Não sei o porquê de tanta demora. Deveriam organizar melhor o trânsito para facilitar nossa vida”, desabafa. Ainda segundo Erick, em um trajeto que se gasta normalmente 10 minutos, ele tem levado quase 45 minutos.

O mesmo incômodo afeta o condutor Torres Almeida. Ele explica que demora cerca de 10 minutos para chegar em casa. Mas que o engarrafamento extrapolou o seu tempo médio de deslocamento. “Tenho certeza que vou ficar mais 20 minutos no trânsito”, destaca. Dessa maneira, Almeida levará cerca de meia hora para fazer um trajeto que normalmente ele demoraria três vezes menos. “Todo dia tem sido esta sina”, lamenta.

Segundo a Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), a lentidão e o engarrafamento são inevitáveis. No entanto, o órgão afirma que a partir do avanço das obras para a Av. Francisco Porto, o trânsito deverá voltar gradativamente à normalidade. Ainda não há, contudo, um prazo final para o término da reposição asfáltica.

A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) informou que a partir da próxima semana, haverá uma maior organização no trânsito devido ao apoio de agentes da entidade que intensificarão seu trabalho ao longo da Av. Beira Mar. Ainda segundo a entidade, os motoristas devem acompanhar as redes sociais da SMTT, pois elas darão informações acerca de horários e rotas alternativas para diminuir os transtornos provocados pelas obras.

por João Paulo Schneider  e Verlane Estácio

Comentários