MPE oficiará Emsurb para fiscalização das feiras privadas na capital

0
Missano destaca que para coibir esse funcionamento irregular das feiras privadas vai solicitar a Emsurb, através de um ofício, a devida fiscalização (Foto: Felipe Goettenauer)

O Ministério Público de Sergipe (MPE), através da Promotoria de Justiça do Consumidor, irá encaminhar um ofício à Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) solicitando a fiscalização de algumas feiras privadas que ainda insistem em manter suas atividades em funcionamento. Segundo a promotora de Justiça do Consumidor, Euza Missano, o objetivo é coibir aglomerações nesse momento de isolamento social.

Segundo Euza Missano, o objetivo é coibir aglomerações nesse momento de isolamento social (Foto: MPE/SE)

Ainda segundo a promotora Euza Missano, as feiras livres municipais já foram suspensas por um período de 15 dias. “O prefeito da capital, através de um decreto, já proibiu o funcionamento de todas as feiras livres do município”, destaca Missano. “O que pode ocorrer é que algumas dessas feiras que ainda estejam funcionando sejam de cunho privado. Mas mesmo assim, não podem manter suas atividades”, reitera.

Missano destaca que para coibir esse funcionamento irregular das feiras privadas vai solicitar a Emsurb, através de um ofício, a devida fiscalização. “Essas feiras não podem acontecer. Entrarei em contato com a Emsurb para que haja uma maior fiscalização dessas atividades irregulares”, destaca.

A Emsub informou, por sua vez, que até o fechamento da matéria ainda não havia sido oficiada pelo MPE. o Portal permanece à disposição pelo telefone (79) 2106-8000 ou pelo jornalismo@infonet.com.br

MPE também solicitou rigor à SMTT

Na tarde desta terça-feira, 24, o MPE havia dado um prazo de 12h para que a SMTT adotasse novas medidas de combate ao coronavírus. Euza Missano afirmou que as recomendações do MPE buscam impedir uma rápida disseminação do vírus. Ainda segundo ela, o MPE continua à disposição da sociedade sergipana através da sua ouvidoria. “Essas medidas mostram que nós ainda estamos tratando da doença em regime de plantão para conter o avanço do Covid-19”, destaca a promotora.

por João Paulo Schneider 

Comentários