Mulher atingida por tiro com filho no colo relata crime em audiência

0
André Mauro permanece preso (Foto: cedida SSP)

O juiz Daniel Lima do Nascimento, da 8a Vara Criminal, iniciou nesta sexta-feira, 5, a audiência de instrução e julgamento, ouvindo a vítima de uma tentativa de homicídio cometido pelo ex-companheiro dela, identificado como André Mauro dos Santos. Ele conseguiu acesso ao apartamento da vítima pulando a janela, disparou um tiro que atingiu a ex-mulher e também um bebê de apenas dois meses de idade à época e ainda roubou um veículo para fugir da cena do crime. André Mauro foi preso no ano passado e permanece no sistema prisional.

A tentativa de homicídio ocorreu no dia 18 de outubro do ano passado dentro de um condomínio no bairro Inácio Barbosa, em Aracaju. A vítima, que pediu para não ser identificada, prestou depoimento e narrou detalhes da ocorrência, relatando episódios anteriores, assegurando que teria sofrido outras agressões físicas, inclusive tentativa de estrangulamento dias antes de ser atingida pelo tiro disparado por André Mauro.

Na audiência, o advogado Bruno Ornellas foi habilitado no processo como assistente de acusação, e a defesa do réu, feita pelo defensor público Jorge Valença, solicitou a inclusão de outras três testemunhas, e a promotora de justiça Cláudia Daniela Franco, requisitou laudos complementares que atestem a atual condição de saúde atual e a evolução do tratamento tanto da mãe quanto do recém-nascido atingido pelo disparo feito por André Mauro. A promotora também considera relevante ouvir o depoimento do atual companheiro da vítima do tiro. Há relatos que este outro homem, que é pai da criança atingida pelo tiro naquele 18 de outubro de 2018, também recebeu ameaças que teriam sido praticadas pelo próprio André Mauro.

Apesar da vítima revelar que o pai da criança é o atual companheiro, André Mauro chegou a registrar a criança. Fato que a defesa estranha e entende que o acusado teve o aval da mulher para registrar a criança. A vítima garante que foi pressionada e André Mauro conseguiu o registro atestando a paternidade a seu favor. A questão ainda está pendente de exames de DNA, conforme assegurou a vítima da agressão na audiência realizada nesta sexta-feira, 5.

Roubo de carro

Além de duas tentativas de homicídio [por atingir a mulher e o filho, que se encontrava no colo da mãe], André Mauro também responde por roubo de veículo de propriedade de Carlos Eduardo, que é um outro ex-companheiro da mulher atingida. Carlos Eduardo foi buscar a filha, nascida da relação dele com a vítima desse atentado, e presenciou o momento que André Mauro chegou armado, pulou o muro e disparou o tiro que atingiu a mulher e a criança.

Ele disse que assim que ouviu o disparo, foi ao encontro das duas filhas mais velhas da vítima, que já estava saindo do condomínio e as levou para o carro, mas acabou surpreendido por André Mauro que, com arma em punho, o obrigou a descer do carro. O veículo de Carlos Eduardo foi usado na fuga e foi encontrado, posteriormente, em Salvador, capital da Bahia.

Ao final da audiência, o juiz Daniel Nascimento deferiu os pedidos do Ministério Público e também da defesa. O acusado permanece preso e ficou custodiado em uma das celas do Fórum Gumercindo Bessa durante todo o tempo em que a audiência foi realizada. Mas ele ainda não foi interrogado. As novas testemunhas prestarão depoimento no próximo mês quando o juiz dará prosseguimento à audiência de instrução de julgamento.

por Cassia Santana

 

Comentários