Polícia ouve testemunhas em morte de porteiro

0

Portão da distribuidora por onde os assaltantes tiveram acesso à empresa (Foto: Portal Infonet)

Agentes do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), continuam investigando o homicídio do porteiro Lucas da Silva Carvalho, 24, que foi assassinado a tiros no dia 12 deste mês enquanto trabalhava em uma distribuidora Gás localizada no bairro Santos Dumont.

O delegado titular da DHPP, Flávio Albuquerque afirmou que a principal linha de investigação da polícia é o crime de latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte.

O delegado esclarece que várias testemunhas, incluindo colegas de trabalho, familiares e o proprietário da distribuidora de gás onde o jovem trabalhava já prestaram depoimento. Imagens de monitoramento das câmeras do circuito interno da empresa também serão utilizadas.

“No momento a gente não pode divulgar nada. Já foram ouvidas várias pessoas, funcionários e pessoas da região. A principal linha de investigação é que tenha sido um latrocínio, o roubo seguido de morte. Existem diligências que estão sendo feitas, cujas investigações dependem do sigilo no caso”, esclarece Flávio.

Crime

O porteiro Lucas da Silva Carvalho, 24, foi assassinado a tiros entre o final da tarde e início da noite deste domingo, 12, quando trabalhava na distribuidora Gás Aracaju, localizada no bairro Santos Dumont, Zona Norte da capital. De acordo com as primeiras investigações da Polícia, o porteiro teria sido espancado, amarrado e arrastado até o banheiro, onde foi encontrado com perfurações de tiros na cabeça.

A Polícia trabalha com a suspeita de latrocínio. Na vizinhança ainda predomina a lei do silêncio, mas os comentários dão conta que os assaltantes teriam tido acesso à distribuidora pelo portão central, na frente da loja.

Por Bruno Antunes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais