Quem inaugura o Teatro Tobias Barreto?

0

<b>Som e Cores em Terras de Serigy -</b> “Sons e Cores em Terras de Serigy”, que acontece no domingo, dia 17, é um show que irá mostrar a diversidade cultural e artística de Sergipe: teatro, música, folclore, dança e literatura, reunindo no palco 148 pessoas. Direção geral de Lindolfo Amaral; produção de Pascoal Maynard; na iluminação, Denis Leão; direção musical de Irineu Fontes; e roteiro de Lindolfo Amaral e Pascoal Maynard.

<b>Grupo Ballet “O Corpo” -</b> Criado na década de 70, em Belo Horizonte, pelos irmãos Pederneiros (Paulo, Rodrigo e Miriam). Desde então o Grupo vem apresentando espetáculos de grande repercussão nacional e internacional. Na coreografia cada parte do corpo é ressaltada pelo contraste das cores, pelo ritmo mecânico de seus movimentos. O espetáculo acontece no próximo dia 19, às 21 horas.

<b>O Som da Assaim -</b> Contado com a participação de artistas sergipanos, o show “Da Mesma Tribo”, montado pela Associação dos Autores Intérpretes de Sergipe – Assaim, promete arrasar no palco do Teatro Tobias Barreto. Sob a direção de Raimundo Venâncio, produção de Amorosa e João Paulo, o show contará com os cantores: Kleber Melo, Sergival Sena, Nino Karva, Célia Gil, Antônio Carlos Du Aracaju, Mingo Santana e Erivaldo de Carira. Durante duas horas serão interpretadas canções regionais e a poesia musical será destacada. Dia 22, às 21 horas.

<b>Musicalis Ad Libituim -</b> Criado em 1992, o Grupo Vocal Vivace Empreendimentos Culturais tem como objetivos a valorização da arte da música, vocal e instrumental, procurando executá-la. O grupo já participou de vários festivais de coros, e vem a Sergipe para fazer uma mostra de música erudita com artistas sergipanos durante as apresentações de inauguração do Teatro Tobias Barreto. O show de músicas eruditas conta apenas com a participação de artistas sergipanos, pianistas, cantores líricos, e presença de corais. Com isso, será possível a promoção do reconhecimento do potencial musical erudito, em atividade no Estado. Será no próximo dia 21, às 21 horas.

<b>O Maravilhoso Mágico de Oz -</b> O que levou Lyman Frank Baum, em 1900, a escrever o “Mágico de Oz”, pode ter sido a vontade de histórias infantis menos carrancudas e sanguinárias, esse pode ter sido o primeiro romance da literatura de fantasia. Um conto de fadas moderno, para divertir as crianças de hoje, encenado pela Companhia Ciranda de Espetáculos, que faz parte do Projeto “A escola vai ao teatro”. A primeira versão do livro se chamava “A Cidade de Esmeralda de Oz”, mas se dizia que ter nome de pedra preciosa num título dava azar, por isso, foi alterado para “O Maravilhoso Mágico de Oz”. Também foi interpretado no cinema por diversas vezes, no formato de desenho animado, filme, quadrinhos, e outros. A aventura da menina do Kansas que é levada pelo ciclone para uma terra mágica, onde vivem personagens como o espantalho, o homem de lata e o leão selvagem, acabou se incorporando ao folclore, não só nos Estados Unidos, mas no mundo inteiro. Será no próximo dia 23, às 17 horas.

<b>O Falcão e o Imperador -</b> Questões como a dificuldade de viver no caos do mundo, a tentativa de equilibrar interior e exterior e o movimento que é necessário fazer para viver de maneira mais suave e poética, são algumas das discussões da peça teatral adaptada do poema de Nikos Kazantzákis. Letícia Spiller é o falcão e Jac Fagundes é o imperador, além de protagonizarem, eles dirigem a peça ao lado de Daniela Visco. Ela resume a obra como uma mistura entre “Ascese – Os Salvadores de Deus” e alguns poemas de Rumi. Este espetáculo esta sendo aguardado por todos no próximo dia 24, às 20 horas.

<b>Um dia de sol em Shangrilá -</b> No próximo dia 26, às 21 horas, o Teatro Tobias Barreto recebe a apresentação da Comédia Musical “Um dia de sol em Shangrilá”. Produzida no Rio de Janeiro, é dirigida por Charles Möller e Cláudio Botelho, que fizeram sucesso com os musicais "Cole Porter – Ele nunca disse que me amava" e "Company", e é protagonizado pelas atrizes Cláudia Netto, Lucinha Lins e Selma Reis. A comédia musical conta a história da vida conturbada das cantoras-atrizes de teatro musical no Brasil, suas dificuldades de conciliar vida particular e trabalho, mostrando que todas são vencedoras, e que também já perderam como todo artista brasileiro. “Um dia de sol de Shangrilá” foi produzido especialmente para o palco do teatro Café Pequeno, no Leblon (RJ), mas como todo musical de sucesso não poderia deixar de se apresentar nos palcos brasileiros.

<b>Gen Verde -</b> Marcado para se apresentar no dia 3 de abril, às 21 horas, o espetáculo internacional “Gen Verde” também fará parte da semana de inauguração do Teatro Tobias Barreto. O grupo traz o musical “Primeiras Páginas”, que reúne 24 mulheres de 13 nacionalidades diferentes, que cantam, dançam e tocam. Com mais de 30 anos de existência, a Gen Verde leva consigo a mensagem de construção de um mundo melhor. No Brasil, o grupo faz 24 apresentações, em 16 cidades brasileiras, que já foram encenadas em vários países da Europa. O espetáculo “Primeiras Páginas” narra um acontecimento protagonizado por um grupo de moças, na cidade de Trento (norte da Itália) durante a 2ª Guerra Mundial. Uma professora, um bedel e a “mulher sofrida” são testemunhas do horror da grande guerra.

<b>Ballet do Teatro Municipal do Rio de Janeiro -</b> O corpo de baile do Teatro Municipal do Rio de Janeiro foi formado em 1936. Desde então tem atuado em eventos no próprio teatro e em temporadas internacionais. Vários são os profissionais envolvidos na produção do ballet, professores, coreógrafos, pianistas, bailarinos, corpo de baile feminino e masculino, além do coro e da orquestra. A apresentação do ballet será no dia 5 de abril, às 21 horas.

Comentários