Sargento preso na operação pode ser excluído da PM

0
Coronel Maurício Iunes falou sobre a prisão do sargento (Foto: Portal Infonet)

O Coronel Mauricio Iunes confirmou que a Corporação da Polícia Militar irá investigar a prisão em flagrante do sargento Agnaldo Dantas Filho. O fato ocorreu durante a Operação Concórdia deflagrada na última quinta-feira, 28, no bairro Santa Maria. De acordo com o comandante da PM, a prisão ocorreu por conta do militar ter tido o porte de arma suspenso e ter sido encontrado portando uma munição em casa. Ontem,28, durante reportagem do Portal Infonet sobre a operação, o assessoria de comunicação da Polícia falou sobre o envolvimento do sargento com André Taxista.

Sem porte de arma

Essa não foi a primeira vez que o sargento se envolveu em uma situação de investigação. Em janeiro desse ano, após uma briga de trânsito ocorrido no bairro São José, em Aracaju, o militar teve o porte de arma suspenso. O caso foi noticiado pelo Portal Infonet

“Esse fato ocorreu próximo ao hospital são Lucas, numa discussão de trânsito onde o militar sacou a arma. Baseado nisso, quando da identificação do mesmo, o porte de arma dele passou a ser suspenso e ele não poderia estar de posse de algum material porque todos os materiais pertencentes a policia militar foram recolhidos. A priori, ele não foi preso pelo caso [participação na Concórdia], mas porque a residência dele era ao lado de um dos alvos que é o André Taxista que está sendo procurado”.

Briga de trânsito gerou a suspensão do porte de arma e munição do PM

Exclusão do quadro

Ainda segundo Maurício Iunes, o próximo passo será investigar a quem pertencia à munição encontrada na residência do militar. “As hipóteses que se levantam dele ter envolvimento nessa quadrilha, não podemos dizer agora, seria prematuro fazer julgamento, mas há índicios que possam levar as investigações e por isso a Corregedoria da Polícia Militar estará investigando. Em tese, será um processo instaurado contra a prisão em flagrante dele, o outro processo administrativo e posteriormente outro do conselho de disciplina a fim da exclusão dele do quadro, mas tudo isso, em tese até porque precisamos de toda documentação analisada”.

O militar permanece detido no presídio Militar.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais