Ser Total: um programa completo de formação neurolingüística

0

<i>Por Waneska Cipriano</i>

“Ser Total”. Esse é o título do programa de formação neurolingüística que Eduardo Shinyashiki e Daniela Oggionni estarão iniciando no próximo dia 15 desse mês, no Sebrae, na capital sergipana. O programa é destinado a pessoas que querem aprender a integrar definitivamente as técnicas e ferramentas da Neurolingüística em seu comportamento, desenvolvendo assim habilidades e atingindo resultados. Confira entrevista exclusiva do <i>InfoNet Notícias</i> com Eduardo Shinyashiki, terapeuta, palestrante, consultor, criador da Sociedade Cre-Ser, que trabalha na área há 17 anos no Brasil e 10 anos na Europa.

<b>INFONET NOTICIAS – Quem pode participar desse programa de formação neurolingüística?</b>

<b>EDUARDO SHINIASHIKI -</b> Normalmente profissionais autônomos, liberais, de diversos locais. O grande objetivo é ver o ser humano não como um corpo adicional que diz “O.K., agora vou investir em meu lado profissional”. Quem age assim não obtém um crescimento na parte total do ser e, muitas vezes, começa a desacreditar na vida profissional, na vida familiar e aí, às vezes, o crescimento profissional tem um custo para a vida da pessoa muito grande. Dentro dessa formação neurolingüística buscamos a visão de que junto com o crescer profissionalmente devemos ter as ferramentas que possam melhorar a comunicação – testando recursos para que se tenha uma alta performance, um alto rendimento no cotidiano, a fim de que esse rendimento possa melhorar, atingir níveis de excelência profissional, afetivo, familiar, abordando o ser humano como um todo. Não é simplesmente se dizer assim: “O.K. agora vou tornar você um ótimo comunicador”, mas sim levantar questões como “O que é realmente fundamental para você? O que te faz mais feliz hoje?”. Não é só como negociar melhor, como vender melhor, como acessar, como criar um estado de equilíbrio, de harmonia e de saúde. Esse equilíbrio ele não passa apenas por uma formação especificamente profissional, mas sim, busca respostas sobre como podemos nos tornar um ser humano melhor e não apenas um excelente profissional.

<b>INFONET NOTICIAS – Qual a dinâmica da formação?</b>

<b>EDUARDO SHINIASHIKI -</b> É um programa onde todas as técnicas são muito dinâmicas, fundamentadas em exercícios práticos. Duas partes importantes. Uma é que a pessoa poderá experienciar e se identificar com aquela técnica e perceber que ela dá resultados, porque uma técnica em que você não ver resultados em você mesmo, você tem pouca credibilidade de acreditar. Quem vai dizer: “Eu nunca vi o resultado disso, mas acho que vai funcionar”. Caiu no descrédito. Esse é o primeiro passo da formação. Um segundo passo é você ter domínio, aplicar a técnica com o máximo número possível de pessoas. Tudo isso torna a formação muito dinâmica, muito lúdica, divertida. Um trabalho com interação maior entre professor e aluno se torna mais dinâmico, mais afetivo também. No final, percebe-se claramente que você não terminou de conhecer uma classe, mas sim um organismo. É uma formação muito gostosa, que dá muito subsídio profissional. É por isso que, geralmente, grande parte das pessoas que participam dessa formação é de altos executivos de multinacionais. Por que essas pessoas participam de uma formação como essa? É porque quanto mais eu tenho domínio do meu ser, do meu emocional, quanto mais eu aprendo a lidar com as adversidades, mais eu crio espaço para que meu talento apareça. Quanto menos tempo eu passo na insegurança, mais tempo eu passo criando ações.

<b>INFONET NOTICIAS – Qual a dica para “ser total”, para lidar com o stress do dia-a-dia e mesmo assim sentir-se completo?</b>

<b>EDUARDO SHINIASHIKI -</b> O stress na prática é insegurança. Como estamos lidando com tantas pressões, com tantas exigências no nosso dia-a-dia, o tempo que passamos inseguros, instáveis, com muitas dúvidas e incertezas, acaba diminuindo nosso rendimento. Quanto mais seguro estivermos, quanto maior for nosso nível de confiança, mais poderemos lidar com essas pressões de uma forma positiva e não de uma forma limitante e negativa. O trabalho do programa de neurolingüística, a técnica da neurolingüística, nasceu de anos de observações de pessoas que conseguiam resultados de uma forma fantástica. Como é que uma pessoa consegue acessar todas as informações de uma outra sem que ela se sinta invadida? E como, ao acessar essas informações, eu posso ajudar essa pessoa a criar uma vida melhor? Existia um terapeuta chamado Milton Ericsson, criador da técnica de hipnose, que fazia isso de uma forma incrível e ele observou isso durante anos. Imagina só você, por exemplo, na área de Jornalismo, com essas técnicas, poder acessar esse conteúdo das pessoas sem que elas se sintam invadidas? Um médico, por exemplo, quando faz um estudo com um paciente, ele pode fazer perguntas específicas para obter a informação desejada, para que ele possa fazer o diagnóstico do paciente da forma mais precisa possível. O objetivo da programação neurolingüística é justamente esse: observar as pessoas excelentes, extraordinárias, as pessoas fora do normal, que tinham resultados excelentes. Os criadores da neurolingüística então perceberam que existe um padrão dentro disso e perguntaram: “O que eu posso fazer para atingir esses mesmos resultados?”. Durante o projeto de formação, se as pessoas não forem desafiadas e estimuladas a romperem os hábitos antigos, a tendência é que quando termine a formação elas continuem a fazer tudo que faziam antes e, inclusive, encontrem dificuldades em colocar tudo que foi aprendido em prática.

<b>INFONET NOTICIAS – Você, assim como a Daniela Oggionni, fazem parte da Sociedade Cre-Ser, fundada por você. Como funciona a Sociedade e quais seus objetivos?</b>

<b>EDUARDO SHINIASHIKI -</b> Trabalhamos em três na Sociedade Cre-Ser. Ao realizarmos cursos específicos como esse por diversos países do mundo, não nos preocupamos em formas líderes convencionais, mas sim, formar líderes que consigam liderar suas próprias vidas. A qualidade não é apenas um diferencial, ela faz parte da vida. Por isso Cre-Ser, pois tudo aquilo que acreditamos nós somos, somos o que acreditamos ser.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – –
<i>Maiores informações sobre o programa de formação neurolingüística “Ser Total” com Hilda Queiroz, pelos telefones (0xx79) 9972-8193 ou via e-mail: <font color="#0000FF">hilda@infonet.com.br</font></i>.

Comentários