Sindiserj e TJ debatem formação de comissão

0

Reunião aconteceu na Presidência do Palácio da Justiça
O presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, Desembargador Roberto Porto recebeu no final da tarde desta terça-feira, 25, representantes do Sindicato dos Servidores do TJ (Sindiserj) para discutir a formação de uma comissão visando discutir a questão salarial da categoria que passou dez dias em greve. O sindicato prometeu apresentar os nomes dos servidores nesta quinta-feira, 22, e a comissão deverá se reunir a partir da próxima segunda-feira, 31.

No encontro realizado na presidência do Palácio da Justiça, o presidente do Sindiserj, Hélcio Albuquerque, solicitou que os nomes dos integrantes da comissão fossem apresentados após a assembléia da categoria, marcada para esta quarta-feira, 26.

Hélcio Albuquerque quer benefícios sendo estendidos aos inativos
O presidente Roberto Porto concordou com a solicitação, mas alertou sobre o prazo para enviar a proposta à Assembléia Legislativa.

“A agenda está apertada. Vocês se reúnam amanhã e tragam os nomes para que os trabalhos comecem a partir da segunda-feira, 31, pois se os integrantes da comissão não chegarem a uma solução terei de optar por alguns mecanismos e preciso de no mínimo 15 dias antes de a proposta ir para a Assembléia Legislativa, para submeter ao Pleno. Vou entrar em contato com o presidente Ulices Andrade para saber o prazo máximo para envio de projetos ainda neste semestre”, ressalta Roberto Porto.

Edimar Cruz Menezes desistiu de lutar e montou escritório de advocacia
O presidente do Tribunal de Justiça disse ainda que se os representantes do Sindiserj não correrem, podem ficar sem reposição e nem aumento. Ele lembrou também ter feito a proposta de reajuste de 6% a partir de agosto. “Eu ofereci esse percentual, mas o sindicato não deu resposta”, destaca.

Uma questão definida na reunião desta terça-feira, 25, foi de que os inativos devem ser contemplados com as conquistas dos servidores da ativas. “Nós não queremos nenhuma verba que os aposentados não sejam contemplados”, enfatiza o presidente do Sindiserj, Hélcio Albuquerque.

O anteprojeto de lei elaborado pela comissão, também formada por servidores indicados pela Presidência do TJSE, será apreciado pelo Tribunal Pleno e só depois enviado à Assembleia Legislativa, que entra em recesso no próximo mês.

Desistência

Na reunião, o técnico judiciário Edimar Cruz Menezes, que fez concurso para o Tribunal de Justiça de Sergipe em 2004 e foi convocado em 2006, anunciou ter pedido a exoneração do cargo. “Cansei de lutar por melhores salários e melhores condições de trabalho. Dei meu sangue juntamente com os demais servidores. Me formei em Direito pela Universidade Federal de Sergipe e agora vou advogar”, destaca Edimar Cruz Menezes.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais