Vizinhos são indiciados por homicídio qualificado de adolescente

0
A garota desapareceu no dia 2 de janeiro de 2018, quando foi vista pela última vez com vida por volta das 12h no povoado Garangau, em Campo do Brito (Foto: arquivo/Portal Infonet)

A Polícia Civil concluiu o inquérito que investigava a morte da adolescente Edenilza Silva Andrade, de 12 anos. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), duas pessoas que moravam próximo a vítima foram indiciadas pela morte da jovem e o inquérito foi encaminhado para o Ministério Público.

Com o andamento das investigações, foram realizados mais de 35 depoimentos à Polícia Civil, além do estudo de alguns laudos periciais, que levaram ao conhecimento de dois suspeitos de cometer o crime. Por meio de nota, enviada ao Portal Infonet, a SSP esclarece que a avaliação feita por peritos oficias, na época do crime, não identificou estupro, mas havia sinais de violência que provocaram a morte da jovem.

Com o encaminhamento para o Ministério Público, espera-se a confirmação do indiciamento e deferimento das representações das prisões da pessoas envolvidas no crime, assim como, caso seja necessário, novas diligências sejam realizadas pela Polícia Civil. As identidades das pessoas indiciadas não podem ser reveladas, pois o processo corre em sigilo. Eles serão indiciados por homicídio doloso

Entenda

A garota desapareceu no dia 2 de janeiro de 2018, quando foi vista pela última vez com vida por volta das 12h no povoado Garangau, em Campo do Brito. Por volta das 23h da quarta-feira, 3, o corpo foi encontrado em uma barragem, despido, com lesões no rosto e a calcinha na boca, deixando a impressão de que a vítima teria sido amordaçada, segundo os levantamentos realizados à época.

por João Paulo Schneider  e Aisla Vasconcelos
Com informações da SSP

A matéria foi alterada às 17:53 do dia 04/01 para corrigir a informação passada anteriormente pela SSP, dando conta de que a jovem tinha sofrido estupro. 
Comentários