Adelmário apaixonado por forró

0

A paixão pelo forró deu origem a uma carreira que arrasta multidões aos arraiás do Nordeste. Adelmário Coelho deixou o Pólo Petroquímico de Camaçari e se tornou um divulgador do autêntico forró, através de sua música e da regravação do trabalho do Trio Nordestino. Com a agenda cheia de shows em outros arraiás do Estado, o cantor baiano dedicou alguns minutos de atenção para uma breve entrevista ao Portal InfoNet. Confira! PORTAL INFONET – Como surgiu Adelmário Coelho? ADELMÁRIO COELHO – Assim como todo nordestino tenho paixão pelo forró e, desde criança, ouvindo esse tipo de música, criei simpatia pelo ritmo. INFONET – Você tinha outra profissão. Como decidiu pela carreira de músico? AC – Trabalhei no Pólo Petroquímico de Camaçari, na Bahia, e minha carreira surgiu de forma quase acidental. Eu costumava passar férias com minha família em Caruaru, Pernambuco e, em uma dessas idas, quis gravar uma música, acabei gravando dez. Foi assim que tudo começou, depois fui tornando compatível o trabalho com a vida de músico. INFONET – O fato de ter nascido numa cidade da bacia do Rio São Francisco nunca lhe despertou uma composição abordando aspectos do rio? AC – Devo ter alguma música que trate do assunto, às vezes recebo composições com esse tema. INFONET – Você gravou dois CDs com músicas do Trio Nordestino. O que significa esse trabalho para sua carreira? Pretende regravar sucessos de outros forrozeiros consagrados? AC – É uma maneira de fazer um resgate do que é bom, da boa música, para as gerações que não tem ou terão a oportunidade de conhecer o trabalho desses artistas. Se houver a possibilidade de fazer outras regravações, faço. Por Márcia Santos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais