Mulheres Negras é tema de exposição no Mirante

0

(Foto: Ascom Funcaju)

A diretora do Mirante da 13 de Julho, Dinha Barreto Em comemoração ao mês em que foi sancionada a Lei Áurea, elaborada em 13 de maio de 1988 e que extinguiu a escravidão no Brasil, o Mirante da 13 de Julho, uma das unidades da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), inaugurou a exposição Mulheres Negras. A mostra narra à trajetória da mulher negra, indo do período do Colonial até os dias atuais, dando ênfase a toda beleza, charme e brasilidade encontrada no corpo e na alma feminina.

São 28 quadros, de 28 artistas que fazem parte da Associação de Artistas Plásticos de Aracaju (AAPLASA). As obras contam com as mais variadas técnicas de pintura como: pintura em acrílico, a óleo e desenho artístico, e trabalham com experiências vividas pelas mulheres negras no decorrer da história. Um verdadeiro resgate da cultura brasileira e que valoriza a mulher, negra, que sofreu pré-conceito, mas que mesmo assim ajudou a promover a nação brasileira.

“O Mirante é um espaço aberto para todos aqueles que apreciam a arte. Hoje, recebemos a exposição ‘Mulheres Negras’ que retratam a mulher em todas as suas faces. E que por si só, carrega o peso da sua história”, comenta a diretora do Mirante da 13 de Julho, Dinha Barreto.

“Nos meses de maio e novembro trazemos exposições para o Mirante, sempre dentro do contexto da cultura negra. Desta vez, optamos homenagear aquelas que estão em ascensão constante, no ambiente profissional, mas que ainda tem tempo para cuidar casa e da família”, comentou o presidente da AAPLASA, Chico Sá.

Artistas

Com um quadro que representa a mulher madura, com peça em alto-relevo, a pintora, Maria Angélica Asencio, comenta porque optou por esta técnica. “Valorizo o rosto e a beleza da mulher, por isso, pintei um rosto de uma mulher. O alto-relevo me ajudou a dar um toque mais suave e ao mesmo tempo mais expressivo, chamando atenção de quem o observa”, disse.

“Quando pensamos na mulher, lembramos logo da maternidade, por isso decidi pintar uma mulher negra com uma barriga grande, como uma mulher prestes a entrar em trabalho de parto. Mas sem perder a vaidade feminina, e isso fica bem claro no seu vestido colorido”. Ressalta a artista plástica, Ana Leite.

O Mirante

A exposição Mulheres Negras segue em cartaz até o dia 6 de junho. O horário de funcionamento do Mirante da 13 de Julho, que é de segunda a sexta-feira, das 9h às 19 horas, e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 15 horas. Excepcionalmente neste carnaval, o local funcionará na segunda-feira, 20, das 9h às 15 horas, fecha na terça-feira, 21, e retoma o funcionamento na quarta-feira, 22, a partir das 12h.

Fonte: AAN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais