Presidente da Liga de Quadrilhas Juninas pede ajuda ao poder público

0
Foto: Pritty Reis

A situação de pandemia que afeta diretamente vários segmentos da sociedade, principalmente o cultural, deixou as quadrilhas juninas de Sergipe numa encruzilhada. Sem poder fazer apresentações em público, respeitando os decretos governamentais e evitando aglomerações, os quadrilheiros sergipanos se sentem abandonados pelo poder público. “Nesse momento só posso lamentar a situação das nossas quadrilhas juninas”, disse Sérgio Luiz, presidente da Liga das Quadrilhas Juninas de Sergipe.

A principal queixa do presidente no momento é a falta de apoio e consideração por parte do poder público, seja ele estadual ou municipal. “Esse ano foi lançado um edital do governo do Estado para a cultura, e apenas duas ou três quadrilhas foram contempladas”, afirmou, indignado. “Mas quando o termo ‘quadrilha junina’ não é citado no edital, fica difícil para a gente ser contemplado. Então a gente pede às pessoas e autoridades que fazem cultura em Sergipe que quando lançarem um edital, busquem citar as quadrilhas juninas. É o apelo que faço, pois nós continuamos existindo”.

De acordo com Sérgio Luiz, Sergipe já chegou a ter 180 quadrilhas juninas espalhadas por todos os municípios, mas hoje são apenas 55 em todo o Estado. Na capital Aracaju são apenas sete. “Em Aracaju, o prefeito Edvaldo Nogueira também não contempla nossas quadrilhas. E ninguém venha falar para mim que não tendo o São João não terá quadrilha”, reclama o presidente.

“A gente começa a ensaiar no mês de setembro do ano anterior às apresentações. Em janeiro já existem competições. Nós trabalhamos com quadrilha o ano todo, pois no mês de setembro a gente já tem contrato com os músicos, coreógrafos, costureiras querendo adiantamento para fazer os trajes. Então nós constituímos dívidas. As nossas quadrilhas estão devendo, pois assinaram contratos e terão que cumprir. Se houver quebra, a gente tem que pagar. O músico precisa receber”, disse Sérgio.

“Pelo amor de Deus, quando forem fazer editais coloquem artes cênicas, teatro, mas por favor, acrescentem também quadrilhas juninas. E com certeza nós teremos condições de sermos contemplados. Ajudem as nossas quadrilhas juninas a permanecerem vivas”, apela o presidente Sérgio Luiz.

PMA

O secretário de Comunicação da Prefeitura de Aracaju, Luciano Correa, explicou que as quadrilhas juninas não foram contempladas com os projetos ‘Forró Caju em casa’ e ‘Janela das Artes’ por causa das regras do isolamento social. “É complicado simplificar uma quadrilha, se fizermos isso, perde sentido”, comenta.

Ainda segundo Luciano, as quadrilhas poderão ser beneficiadas com projetos posteriores. “Elas não foram incluídas nesses projetos, mas fica aberta a possibilidade de em um momento, posterior, a gente discutir incentivos às quadrilhas juninas”.

Estado

A fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe (Funcap) informou que o edital Reinvente-se contempla todas as classes artísticas e que, inclusive, quatro quadrilhas já foram selecionadas pelo edital, a exemplo da Asa Branca, que está entre os participantes do ‘Arraial Reinvente-se’. Ainda segundo a Funcap. edital foi aberto no dia 17 de abril e até o dia 17 de agosto as equipes ainda podem se inscrever.

Com informações da Ascom/Liquaju-SE

Comentários