Stravinsky é homenageado na Temporada Digital da Orsse

0
O concerto será veiculado na Aperipê TV, canal, 6.1 da TV aberta, com estreia concomitante nas redes sociais da Orsse. (Foto: Funcap/SE)

Sexta-feira, dia 27 de agosto, às 19h, é dia da veiculação de mais um programa inédito da Temporada Digital de Concertos da Orquestra Sinfônica de Sergipe. Gravado diretamente do palco do Teatro Tobias Barreto, a apresentação tem como tema a homenagem a um dos compositores mais revolucionários da História da Música, o russo Igor Stravinsky, que em 2021 completa 50 anos de falecimento.

Será apresentada uma de suas principais obras camerísticas, Dumbarton Oaks, sob a regência do maestro Guilherme Mannis. Completam o programa as Serenatas para Sopros dos compositores Richard Strauss e Antonin Dvorák.

O concerto será veiculado na Aperipê TV, canal, 6.1 da TV aberta, com estreia concomitante nas redes sociais da Orsse: Youtube e Facebook, no endereço @orquestra.sergipe. A Orsse é uma realização do Governo de Sergipe, por meio da Fundação de Cultura e Arte Aperipê. Para a gravação, foram utilizados os Protocolos de Segurança Sanitária desenvolvidos pelo Fórum Brasileiro de Ópera, Dança e Música de Concerto.

Um dos mais influentes compositores do século XX, o revolucionário Igor Stravinsky (1882-1971) teve sua carreira notabilizada por sua diversidade estilística. Inicialmente adquiriu fama internacional com três balés encomendados pelo empresário Sergei Diaguilev e executados pelos Ballets Russes: o Pássaro de Fogo, Petrushka e a inovadora Sagração da Primavera, que transformou o modo de pensamento dos compositores posteriores acerca das estruturas rítmicas da música. No concerto da Orsse, será apresentada uma de suas peças para grupo de câmara denominada “Dumbarton Oaks”, caracterizada pelo próprio compositor como uma alusão a Bach e aos barrocos concertos de Brandemburgo, só que em versão moderna.

Segundo o maestro Guilherme Mannis, diretor artístico da Orsse, Stravinsky traz desafios à interpretação: “Mesmo após 50 anos de falecimento, Stravinsky segue sendo um compositor absolutamente contemporâneo, inovador. A performance de ‘Dumbarton Oaks’ é tremendamente desafiadora para nós, que devemos aliar precisão no âmbito de grande complexidade rítmica, à musicalidade típica do período barroco, período histórico que serviu de inspiração para a composição da peça. O conceito é genial; trabalhamos para acompanhar tamanha preciosidade de escrita! ”.

Completam o programa duas das mais importantes obras compostas para grupo de sopros. A primeira delas é a Serenata para Sopros op. 7, em Mi bemol maior, do compositor alemão Richard Strauss (1864-1949). Romântico tardio, apresenta-nos uma peça em que o oboé é um dos instrumentos preponderantes, interpretados por nossa solista Roberta Benjamim. Trata-se de uma das mais importantes composições concebidas para esta formação. A segunda obra é a arrebatadora Serenata op 44., em Ré maior, para sopros, violoncelo e contrabaixo, do compositor tcheco Antonin Dvorak (1841-1904). Obra de rara beleza, em quatro movimentos, alterna momentos líricos do compositor, ou seja, grandes melodias, harmonias envolventes, momentos arrebatadores, a momentos dançantes alusivos à música folclórica e tradicional de seu país: a república Tcheca. A presença das cordas graves – violoncelo e contrabaixo – somadas aos instrumentos de sopros propicia um belo jogo de timbres, oferecendo aos ouvintes um belo colorido orquestral.

Fonte: Ascom/Funcap

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais