Aracaju está entre os 15 principais destinos para comércio do NE

0
(Arte: IBGE)

Aracaju aparece como o décimo segundo destino do Nordeste mais atrativo para compra de  eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos e de informática. Para a compra de artigos de vestuário e calçados para consumo próprio, Aracaju aparece como o décimo quarto principal destino da região. Os dados são da pesquisa Regiões de Influência das Cidades – Informações de Deslocamentos para Comércio 2018, divulgada hoje (21) pelo IBGE.

Para o ranqueamento dos polos de comércio, foi criado o Índice de Atração (IAQ), calculado a partir da população residente nos municípios onde foram realizadas entrevistas e do percentual de deslocamento para cada destino elencado nas entrevistas. É baseado nessa métrica que Aracaju aparece como o décimo segundo destino mais atrativo para o comércio de móveis e eletroeletrônicos e como o décimo quarto destino mais atrativo para o comércio de vestuários e calçados.

A pesquisa é um diagnóstico da logística de abastecimento de alguns bens de consumo. Os dados tiveram a sua divulgação antecipada com o objetivo de ajudar a mapear os efeitos econômicos da Covid-19 em polos comerciais regionais e subsidiar políticas públicas de incentivo a essas atividades comerciais. As medidas de combate à Covid-19 acarretaram mudanças no padrão de consumo em razão da redução da atividade comercial e das restrições de deslocamentos entre municípios.

Em Sergipe, foram identificados outros polos para o comércio. No caso dos vestuários e calçados, o maior destaque no interior do estado é Tobias Barreto, estando entre os trinta polos com maior centralidade nacional específica para esse tema. Tobias Barreto atrai pessoas de outros municípios, inclusive na Bahia, por ser um local com feiras de vestuário e outros artigos de confecção conhecidas. Depois de Tobias Barreto, completam os cinco maiores polos do interior em ordem decrescente de atratividade: Itabaiana, Nossa Senhora da Glória, Lagarto e Estância.

No caso dos deslocamentos para compras de móveis e eletroeletrônicos, Itabaiana é o polo do interior com maior destaque. Os demais municípios são os mesmos da comparação anterior, mas em ordem de atratividade diferente: Lagarto aparece em segundo, seguido por Nossa Senhora da Glória, Tobias Barreto e Estância.

Aracaju é o polo mais citado como destino principal

Em relação aos polos mais procurados por número de municípios em que são mencionados como destino principal para o tema vestuário e calçados, Aracaju é destaque, com 30 origens diferentes. Itabaiana aparece em segundo, com 12 origens, seguido por Nossa Senhora da Glória, com 8 origens.

Os dados indicam uma significativa descentralização no que diz respeito aos destinos mencionados (nesse caso, considerando, além do destino principal, outros destinos). Em Sergipe, além de Aracaju, aparecem Propriá, Itabaiana, Lagarto, Boquim, Estância, Tobias Barreto, Neópolis, Aquidabã, entre outros.

A lista também contempla municípios de outros estados, como Caruaru e Toritama, em Pernambuco, Rio Real e Paulo Afonso, na Bahia, Penedo e Arapiraca, em Alagoas, e até mesmo São Paulo (SP). Num ranqueamento com todos os destinos indicados (não só o principal), por ordem decrescente de percentuais, os destinos que mais aparecem como primeira e segunda opções são Aracaju, Itabaiana, Estância, Nossa Senhora da Glória, Tobias Barreto, Aquidabã e Lagarto.

O ranqueamento de menções como destino principal se repete no caso de compras de móveis e eletroeletrônicos, mas desse vez Aracaju é o destino principal para 35 origens. Itabaiana e Nossa Senhora da Glória mantêm as mesmas quantidades de origens nessa comparação. Além dos destinos já citados para a compra de vestuário e calçados, também aparecem aqui Riachuelo e Pirambu como destinos não principais.

Para a compra de móveis e eletroeletrônicos, também há destinos fora de Sergipe, como destaque para Arapiraca, Penedo e Piranhas, em Alagoas, e Paulo Afonso e Feira de Santana, na Bahia. Num ranqueamento com todos os destinos indicados (não só o principal), por ordem decrescente de percentuais, os destinos que mais aparecem como primeira e segunda opções são Aracaju, Itabaiana, Estância, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Propriá, Tobias Barreto, Aquidabã, Lagarto e Neópolis.

Distâncias médias até os polos estão entre as menores no país

O IBGE apresentou também as distâncias lineares médias (km) dos deslocamentos entre cidades de origem e destino. O deslocamento em Sergipe para compras de produtos de vestuário e calçados é em média de 40,3 km, o que coloca o estado com o terceiro menor deslocamento do país. Em relação ao deslocamento para o comércio de móveis, eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos e de informática, Sergipe apresenta a quarta menor distância do país, com 42 km.

Essas distâncias refletem uma relativa descentralização na atividade comercial além da área territorial de Sergipe, que é a menor entre os 26 estados brasileiros. O estado com as menores distâncias médias para deslocamento para comércio foi Santa Catarina (36,2 km), em razão, sobretudo, de uma atividade econômica menos concentrada na capital ou em um único polo específico. O segundo estado é Alagoas (39,7 km), que é também o segundo menor em área territorial, depois de Sergipe. São Paulo (47,7 km) e Rio Grande do Norte (49,1 km) completam a lista. Na outra ponta do ranking, considerando apenas o deslocamento para comércio de vestuário e calçados, aparecem em ordem decrescente o Amazonas (341,8 km), com uma alta concentração na capital Manaus, Rondônia (209,5 km), Mato Grosso (198,4 km), Roraima (197,9 km) e Pará (180,6 km).

No caso do deslocamento para compras de móveis e eletroeletrônicos, as menores distâncias médias estavam em Santa Catarina (33,2 km), Paraíba (37,5 km), Alagoas (40,6 km), Sergipe (42,0 km) e São Paulo (46,1 km). As maiores distâncias médias estavam no Amazonas (388,2 km), com destaque para a Zona Franca de Manaus, Mato Grosso (181,4 km), Pará (173,0 km), Amapá (164,8 km) e Roraima (160,9 km).

Entre os municípios sergipanos, a maior distância média para compra de vestuário ou calçados está em Simão Dias (213,9 km), que indicou entre os destinos possíveis Caruaru, em Pernambuco. Para a compra de móveis e eletroeletrônicos, Tobias Barreto (110,3 km) é o que apresentou maior deslocamento médio, tendo incluído entre os destinos possíveis Feira de Santana, na Bahia.

Fonte: IBGE

Comentários