Economista acredita que Dia dos Pais impulsionará demanda reprimida

0
As expectativas para o comércio nos próximos dias são as melhores (Foto: arquivo/ Portal Infonet)

A reabertura gradual do comércio em Sergipe coincidindo com a comemoração do Dia dos Pais, no próximo domingo, 9, promete impulsionar o comércio local. O economista Rafael Saldanha está otimista com a reabertura das lojas e reforça que a data comercial estimulará o consumo. “A volta do comércio em Sergipe próximo ao Dia dos Pais será a cereja do bolo para ampliar o movimento no varejo”, diz.

Os empresários tem a mesma expectativa. Segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 58% dos brasileiros pretendem presentear no Dia dos Pais este ano, o que significa que 91,2 milhões de consumidores devem ir às compras. E a movimentação financeira em todo o país será de R$ 17,9 bilhões.

Rafael Saldanha lembra que o possível resultado positivo não ocorre apenas pela data comemorativa, mas também por conta do apelo afetivo que o isolamento social provocou. “Apesar do brasileiro por si só ser consumista, acredito que numa situação normal as pessoas não estariam tão dispostas a gastar. Mas os quatro meses de isolamento e a demanda reprimida, junto com a data a comemorar, ampliarão o consumo. Antes as pessoas não podiam sair de casa, já outras não gostam de comprar online”, comenta.

Gangorra

Economista Rafael Saldanha: ‘o Dia dos Pais será a cereja do bolo’

O outro motivo enumerado por Rafael para aumento das vendas é o auxílio emergencial. Para ele, o benefício concedido pelo Governo Federal destinado aos trabalhadores informais, MEI, autônomos e desempregados neste enfrentamento à crise causada pela pandemia do Coronavírus provocou uma “gangorra” econômica.

Ele acrescenta que a crise emergencial acabou elevando o nível de vida das pessoas em extrema pobreza. “Tivemos um aumento no número de desemprego em todo país, mas o auxílio, que veio para fornecer proteção emergencial neste período, aumentou o nível de vida da classe mais baixa. Aquela família que antes recebia no máximo um salário mínimo, agora pode ter recebido dois auxílios e chegado a uma renda de R$1800 mês. Não resolve, mas no momento dá uma aliviada e aumenta o poder de compra dessas pessoas”, explica.

Eletrônico

Sem esquecer do comércio eletrônico, que ganhou força durante a pandemia, Rafael cita pesquisa do Google Brasil . Nela, 40% da população está disposta a fazer compras online para o Dia dos Pais. “Uma mudança de comportamento, já que o brasileiro tem um pouco de aversão ao e-comerce. Mas de acordo com a pesquisa do Google, a internet será o principal canal de comercialização, pois quase metade dos consumidores que vão presentear comprarão por lá”, diz.

Por Raquel Almeida

Comentários