Escurial propõe pagar dívidas trabalhistas em 12 vezes

0
Trabalhadores se posicionam contra demissões na última segunda-feira, 9

A empresa Cerâmica Sergipe, conhecida como Escurial, fez uma proposta para os 51 trabalhadores demitidos no último mês de junho, que levaram a causa ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE): foi sugerido que sejam feitos os pagamentos das rescisões contratuais, os sete meses de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e os 40% da multa de FGTS em 12 parcelas.

A reunião aconteceu na manhã desta quinta-feira, 12. A empresa pediu, ainda, para ser ‘liberada’ do artigo nº 477 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que prevê pagamento de multa, no valor de um salário, para cada trabalhador caso as verbas rescisórias sejam pagas fora do prazo.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fabricação de Cerâmica, Vidros e Embalagens de Vidros do Estado de Sergipe (Sindceram) irá levar as sugestões para que os funcionários apreciem. “Eles verão se aceitam ou fazem uma contraproposta. Depois da assembleia, haverá uma reunião com a empresa”, disse Alexandre Delmondes, presidente.

No mês passado, foram 51 funcionários demitidos. Atualmente, 99 trabalham na ativa da Escurial. “A empresa já vinha atrasando tickets, vales, cestas básicas e as quinzenas”, disse Delmondes.

A direção da Escurial preferiu não emitir manifestação, mas negou que tenha dívidas de benefícios com os servidores remanescentes. Frisou, ainda, que a empresa busca a solução mais rápida e que quer resolver o caso da melhor maneira possível.

Por Victor Siqueira

Comentários