Mulheres pagam menos por seguro de veículos

0

Seguro para mulheres é mais baixo (Foto: Arquivo Portal Infonet)
Cada dia fica mais difícil o condutor de veículos trafegar pelas ruas sem que sejam vítimas de prejuízos causados por roubos e acidentes, por exemplo. A cobertura das seguradoras visa atender as necessidades dos segurados diante de tais imprevistos devido a danos ocasionados ao veículo, tendo o assegurado a reposição dos bens danificados de forma parcial ou total por meio de contrato.

De acordo com dados divulgados pela Divisão de Roubos e Furtos de Veículos da Polícia Civil (DRFV) do estado de Sergipe, o total de carros roubados – subtraídos mediante violência ou ameaça – foi de 24 em junho deste ano, contra 33 de junho do ano passado.  Já o de carros furtados – subtraídos sem violência – foi de 24 em 2010, contra 36 do mesmo período em 2009. Esses dados foram baseados em boletins de ocorrência registrados pela unidade e referem-se ao primeiro semestre de 2010, em comparativo com o mesmo período de 2009.

A professora Ester Maria diz que o seguro trás vantagens ao condutor

Alguns fatores são observados pelas seguradoras ao vender uma apólice de seguro de veículos, tendo em alguns casos, o abatimento em torno de 5% a 10% no valor total da parcela, caso o condutor esteja isento de infrações. Para a professora Ester Maria Gomes, o seguro traz vantagens ao condutor. “É necessário que todos possuam um seguro de veículos para te socorrer nos momentos mais difíceis e quando não temos dinheiro. Eu já precisei utilizar o seguro e ele resolveu tudo em uma semana sem problemas”, diz a professora.

Também é observado que o seguro para a motorista do sexo feminino é mais baixo, pois as seguradoras consideram que as mulheres oferecem menos riscos ao trânsito, ou seja, são mais cuidadosas e provocam menos acidentes. “O valor vai depender da seguradora e do tipo de veículo, mas caso o seguro para o homem fique em torno de R$ 1.250 reais, para a mulher sai no valor de R$ 1.150”, informa o corretor de seguros Felipe Augusto.

Ainda de acordo com o corretor, o fato de a pessoa utilizar o veículo para uso pessoal, sem emprestá-lo para menores de 25 anos também é levado em conta no valor da prestação. “Ao realizar o contrato, as seguradoras observam se a pessoa possui algum dependente menor de 25 anos, pois de acordo com pesquisas feitas por elas, nessa faixa etária alguns desses condutores geralmente andam em maior velocidade e oferecem risco de provocar acidente e por isso nesse caso o seguro aumenta”, afirma Felipe Augusto, ao acrescentar que o pagamento pode ser feito no valor total, parcelado em cartões de créditos ou pelo cheque.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais