PMA e empresários debatem impacto econômico da pandemia

0
Prefeitura e setor produtivo formam grupo para discutir medidas de enfrentamento do impacto econômico da pandemia (Foto: divulgação)

O prefeito Edvaldo Nogueira recebeu nesta terça-feira, 31, representantes do setor empresarial e comercial para tratar das medidas de enfrentamento ao coronavírus na capital. Eles entregaram ao gestor municipal um documento assinado por 34 entidades com demandas relacionadas à pauta econômica. Por sugestão de Edvaldo foi criado um grupo de discussão sobre o impacto econômico da pandemia com a participação do empresariado. Esta é a segunda vez que o prefeito recebe a categoria, desde que foram anunciadas medidas para combater o vírus em Aracaju.

No primeiro encontro, Edvaldo não só apresentou as ações colocadas em prática pela administração municipal para conter o avanço do coronavírus, como também dialogou sobre os efeitos da pandemia na cidade, sobretudo no comércio e na hotelaria. Na ocasião, o gestor municipal também anunciou iniciativas do município para desburocratizar o processo de abertura e fechamento de empresas na capital sergipana.

Já nesta nova reunião, o prefeito expôs as medidas adotadas nos últimos dias, como a antecipação do salários dos servidores e a força-tarefa para cadastramento dos trabalhadores informais que terão direito ao auxílio do governo federal de R$ 600. Edvaldo também falou sobre a possibilidade de retorno das feiras livres, já em um novo formato para garantir a segurança da população e a higienização necessária para conter os avanços do coronavírus.

“Tenho me reunido com todos os setores para tratar das decisões. Fiquem, neste sentido, tranquilos porque considero as reivindicações justas. Entendo as dificuldades de todos os setores neste momento. Mas a Prefeitura também tem as necessidades urgentes da sociedade, seja na prestação dos serviços essenciais, seja nas ações de enfrentamento ao coronavírus. Estamos dialogando com o governo federal, sobre a recomposição de receitas e o repasse de recursos, para que possamos ter condições de abrir o diálogo em relação aos impostos municipais. Vamos analisar cada uma das questões apresentadas e ver o que pode ser incorporado”, destacou o prefeito.

Edvaldo também sugeriu a criação de uma comissão para que as propostas apresentadas pelo setor empresarial sejam discutidas. “Estamos com a cabeça voltada para desburocratizar, para estimular o empreendedorismo, até porque estamos todos no mesmo barco. A ideia é que possamos discutir formas de não deixar a crise se agravar, atingindo, principalmente, os trabalhadores do setor positivo. Estamos abertos para discutir as propostas apresentadas aqui, mas precisamos ter bastante cautela, uma vez que a Prefeitura não pode perder receita porque também tem compromissos a cumprir. Acredito que este grupo de discussão que formamos será muito importante. Vamos nos reunir a cada 15 dias para discutir, avaliar as medidas, e estudar formas para que ninguém saia perdendo, enquanto o distanciamento social tiver que ser mantido. Restringir a circulação de pessoas é fundamental para o combate ao coronavírus”, enfatizou.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio – SE) e deputado federal Laércio Oliveira agradeceu ao prefeito pela disposição em dialogar com a classe empresarial. “Quero agradecer ao prefeito pela disposição em dialogar com o setor empresarial. Estivemos ontem da mesma forma com o governador e levamos uma pauta do setor produtivo, como um todo. Aproveito para cumprimentá-lo pelas medidas adotadas, em favor de proteger a vida dos aracajuanos. Temos clareza da situação que vivemos e entendemos as dificuldades que o prefeito enfrenta. As ações da Prefeitura são extremamente importantes, mas ficamos muito preocupados com a situação dos nossos negócios, da liquidez das empresas, da folha de pagamento dos funcionários. Então esse diálogo é muito importante para nós”, ressaltou.

Laércio acrescentou que “mesmo com as dificuldades, o setor empresarial quer estar junto da Prefeitura, neste momento”. “Queremos ajudar naquilo que for preciso. Temos feito ações neste contexto, de cuidar de vidas porque a gente quer mostrar, tanto para o prefeito como para o governador que queremos estar presentes nas discussões, para ajudar de alguma forma, trazendo a nossa experiência. É claro que estamos preocupados com o salário dos trabalhadores, com os informais, em como as empresas vão fazer o pagamento dos impostos, mas entendemos também que os governos municipal e estadual precisam honrar com seus compromissos. Então é uma somação de forças pensando, principalmente, na população”, frisou.

Participaram da reunião o deputado federal e presidente da Fecomércio-SE, Laércio Oliveira; o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), Marcos Pinheiro; o presidente da CDL Aracaju, Breno Barreto; a superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte e Passageiro (Setransp), Raissa Cruz, o coordenador do Fórum Empresarial de Sergipe, Joaquim Ferreira, entre outros empresários. Também acompanharam as discussões o secretário da Fazenda, Jeferson Passos, e o presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Luiz Roberto Dantas.

 

Fonte: AAN

 

Comentários