Sindicalistas manifestam apoio ao Dieese

0

José Souza, presidente do Sindicato dos Bancários fala sobre evento
Representantes de sindicatos de várias categorias participaram nesta sexta-feira, 15, de um café da manhã na sede do Sindicato dos Bancários, com a finalidade de mostrar a importância do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em Sergipe. Isso por conta de afirmações recentes do governador Marcelo Déda (PT), contra o órgão que anunciou por meio do coordenador Luis Moura que o Estado possui condições de dar um reajuste entre 15% e 21% aos servidores com base na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

De acordo com o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Antônio Góes, o evento foi mais um ato de desagravo em que os sindicalistas puderam reafirmar a sua

José Menezes (Sindimed) também foi prestar solidariedade
solidariedade ao Dieese, seu órgão de assessoramento.  “O Dieese é uma instituição criada pelo movimento sindical há mais de 50 anos, tendo conquistado a credibilidade nacional e internacional, como uma instituição de produção científica, atuando na área de assessoria, pesquisa e educação”, destaca Antônio Góes.

O auditor fiscal da Secretaria de Estado da Fazenda e presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais (Sindat), Marcos Lima disse que o Governo tem condições de dar um reajuste digno com base na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).  “Esperamos que o governador Marcelo Déda não se seduza pelos profetas do apocalipse, pois o Estado é o serviço público e os servidores precisam sentir-se bem estruturados e bem remunerados”, entende Marcos Lima.

Luis Moura quer divulgação de números da Sefaz/Foto: Arquivo Infonet
Divulgação de números

Na ocasião, o coordenador do Dieese em Sergipe, Luis Moura afirmou que qualquer economista que tivesse feito os estudos, os números seriam os mesmos divulgados por ele.  “Não é invenção da minha cabeça. Só não entendo porque se os números que divulguei estão errados, por que o secretário da Fazenda não mostra os números verdadeiros com base na Lei de Responsabilidade Fiscal?”, indaga.

O economista disse ainda que mesmo que o reajuste para os servidores públicos fosse de 15% ou de 21%, a categoria não ia ganhar muito.  “Não estou triste com o governador, pois ele não tem obrigação de saber os cálculos, mas com pessoas que tentam desqualificar um órgão como o Dieese, que atua há 54 anos”, ressalta.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais