Candidatos a reitor e vice ouvem comunidade na UFS

0
Presidente Sintufs expõe pleito dos servidores (Fotos: Portal Infonet)

Na manhã desta quarta-feira, 16, a comunidade universitária participou de uma sabatina com os professores Ângelo Antoniolli e André Maurício Souza, candidatos, respectivamente, ao cargo de reitor e vice da Universidade Federal de Sergipe (UFS) pela chapa única ‘UFS sempre forte!’, que se comprometem a desempenhar esforços para garantir uma administração forte, com coerência e transparência.

Este é a penúltima sabatina, classificada na comunidade universitária como debate, e faz parte do processo eleitoral na UFS. O último debate ocorrerá no próximo dia 23 no campus de Laranjeiras. Na sabatina, a comunidade universitária cobra compromisso do futuro reitor com as bandeiras históricas, que convergem interesses de estudantes, servidores técnicos administrativos e professores.

Os servidores técnicos administrativos, por exemplo, vão entregar, pessoalmente, um documento que sintetiza o pleito da comunidade. Os itens da pauta de reivindicação estão relacionados à implantação de restaurantes em todos os campi em Sergipe, programa de dimensionamento para identificar o número de servidores e o quantitativo de pessoas terceirizadas, jornada de trabalho com 30 horas semanais e plano de remoção de pessoal, entre outros pleitos. “São aspirações históricas, que refletem a demanda reprimida na universidade”, sintetiza a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Técnicos Administrativos em Educação da UFS (Sintufs), Edjanária Borges.

Allana: radicalismo quando necessário

O professor Ângelo Antoniolli interagiu com a comunidade universitária, deixando clara a pretensão de exercer uma administração com transparência e assegurou que os compromissos só deixarão de ser atendidos se não houver recursos suficientes para implementar as ações, citando como exemplo a pretensão da chapa em criar restaurantes universitários em todos os campi.

Lamentos

Alguns lamentam que apenas uma chapa esteja concorrendo ao pleito. “O ideal seria ter várias chapas para confrontar e discutir as propostas”, ressalta a presidente do Sintufs. “A sensação é que ou tudo está perfeito ou há algo errado”, enaltece. Os estudantes acompanham a tese. “Uma chapa só é prejudicial, fica faltando o confronto de ideias”, ressalta a estudante Allana Nascimento, membro do movimento Chega de Migalhas e da União da Juventude Comunista, que aglutina ativistas do PCB.

Professor Ângelo (centro) fala das propostas

A chapa encontra apoio na Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). “São professores preparados com capacidade para consolidar o processo de crescimento e desenvolvimento da Universidade Federal de Sergipe”, ressaltou o presidente da CTB, Edval Góes.

Os estudantes estão realizando debates internos e alguns defendem o esvaziamento nas eleições, mas a postura ainda não está definida, segundo Allana Nascimento. “Ainda vamos discutir o que faremos quanto à questão do voto”, informou. Mas alerta que a classe estudantil permanecerá atenta, disposta a radicalizar quando os interesses forem contrariados. “A partir do momento que o projeto entrar em choque com nosso ideal, vamos avançar e radicalizar, sem dó nem piedade. Quando necessário, vamos lutar e levar nossas ideias para as ruas”, avisa.

Eleições

A eleição para a escolha do reitor e do vice acontecerá em três oportunidades, nos dias 27 deste mês, nos polos de educação à distância, e 28 e 29 nos campi. O resultado da eleição será conhecido no dia 30 deste mês. A eleição é paritária, ou seja, os votos dos alunos, professores e técnicos têm o mesmo peso.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais