Brasília pode ser a última etapa da dupla Ricardo/Jorge

0

Sem atuar com Loyola desde a terceira etapa do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia, Ricardo joga amanhã, em Brasília, buscando um melhor entrosamento com Jorge, seu atual parceiro. Essa poderá ser a última etapa ao lado de Jorge, que vem se esforçando ao máximo para compensar a ausência temporária de Loyola. Mesmo reconhecendo as qualidades de Jorge, a quem vem elogiando dia após dia, Ricardo sentiu a diferença de jogar ao lado de um novo parceiro. “Com o Loyola eu jogava na saída da rede e com o Jorge mudei para a entrada”, compara Ricardo. “É uma dificuldade, principalmente na hora de efetuar a passada para atacar e buscar o tempo de bola, que está bem diferente do que eu estava acostumado”. Líder do ranking individual do Circuito, com 830 pontos, Ricardo diz que com Loyola seus movimentos em quadra já estavam memorizados, com ambos sabendo exatamente o que fazer para as diversas situações de jogo. “Com o Loyola as jogadas saiam com mais naturalidade, justamente pelo nosso entrosamento”, lembra Ricardo. “É natural que sinta diferença nessas etapas, mas o Jorge está se empenhando ao máximo e só tenho que agradecer a sua dedicação nos jogos e nos treinos”. Ricardo considera inusitada essa fase em sua carreira, pois ao mesmo tempo em que entra em quadra sem a responsabilidade da vitória, por estar com um parceiro diferente, por outro lado também precisa manter a regularidade para não perder a liderança no ranking. “É uma posição difícil, mas acho que estou me saindo bem, principalmente pelos resultados que temos alcançado”, comemora. Atual Rei da Praia e conhecido como “Block Machine”, pela eficiência do seu bloqueio, Ricardo deverá voltar a jogar com Loyola a partir da etapa de Goiânia, na qual ele esperar iniciar a preparação para o Circuito Mundial. Até lá, Loyola estará recuperado do problema na virilha e poderá dar seqüência ao trabalho, que tem como principal objetivo os Jogos Olímpicos de Atenas, na Grécia.

Comentários