Agentes e escrivães da polícia civil podem entrar em greve

0
Adriano Bandeira diz que Sinpol tenta negociação com o Governo, mas nenhuma reunião foi marcada (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Os policiais civis de Sergipe participam na tarde dessa segunda-feira, 17, de uma audiência pública na Assembleia Legislativa, às 15h, para falar da situação da segurança pública no Estado e das reivindicações da categoria. Na próxima quarta-feira, 19, acontece mais um ato dos policiais civis em frente ao Palácio de Despachos. A categoria pode decidir pela greve, caso a negociação com o Governo não avance.

“Estamos na fase de alerta ao Governo de Sergipe. Já fizemos dois atos e o próximo acontece nesta quarta-feira. Após esses três momentos de luta, a categoria estará reunida para avaliar os próximos passos da ação, que busca a valorização dos profissionais que integram a base da Polícia Civil, composta por agentes, escrivães e agentes auxiliares”, explica Adriano Bandeira, presidente do Sindicato dos Policiais Civil de Sergipe (Sinpol).

Ainda segundo o presidente, boa parte dos policiais civis já queriam ter paralisado, mas o sindicato achou melhor aguardar o posicionamento do Governo. “A intenção de alguns colegas de fato era já ter paralisado as atividades, mas foi definido de forma conjunta que o momento não é ainda de parar e sim de mobilizar, chamar a atenção da sociedade e buscar o diálogo com o governador Belivaldo Chagas”, diz.

As principais reivindicações da categoria são a reposição inflacionária; revisão salarial que segundo a Sinpol a categoria está há mais de seis anos com salários congelados; e reestruturação dos cargos que integram a base da Polícia Civil. “Nossa categoria anda não foi recebida pelo governador Belivaldo Chagas, embora tenhamos solicitado de maneira formalizada e nos dois atos que já fizemos. Entretanto, ainda acreditamos no diálogo”, diz Adriano.

Audiência Pública

Os policiais civis estarão hoje às 15h na Assembleia Legislativa de Sergipe, participando de uma audiência pública para tratar da problemática da segurança pública do Estado.

“Solicitamos formalmente esse espaço na Alese para tratar de assuntos relacionados à Segurança Pública em Sergipe como a desvalorização dos profissionais de Segurança Pública em Sergipe, os elevados índices de criminalidade no menor estado do país e principais problemas e reivindicações da categoria policial civil. Estamos buscando o apoio dos parlamentares e de qualquer outro cidadão que lute para melhorar a segurança pública do nosso estado”, conclui.

O Governador do Estado informou que vai receber os policiais civis. Ainda não foi definida uma data, mas a informação da Secretaria de Comunicação é que a agenda está sendo ajustada.

Por Karla Pinheiro

Comentários