Alese: governador fala sobre a recuperação da economia sergipana

0
Belivaldo Chagas participou da sessão extraordinária remotamente (Foto: Mario Sousa / ASN)

O Governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, participou na manhã desta terça-feira, 2, da sessão extraordinária para abertura dos trabalhos legislativos de 2021 da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). Em sua mensagem aos parlamentares e ao povo sergipano, Belivaldo falou da pandemia, recuperação da economia e da saída da Petrobras de Sergipe.

O governador lamentou as mais de 2.700 vidas perdidas no Estado por conta da Covid-19 e se solidarizou aos familiares das vítimas. Belivaldo também agradeceu o empenho de todos os profissionais de saúde e de segurança do estado que atuam no cumprimento dos decretos e no tratamento da população.

“São tempos difíceis, mas temos sabido resistir e iremos vencer. Essa é a maior tragédia no país depois da gripe espanhola. Apesar de todo sofrimento e das vidas perdidas, estamos vivendo o início da vacinação. A vacina é o único caminho para retornarmos a vida normal”, afirma.

Belivaldo agradeceu aos deputados, que em apoio ao poder Executivo, conseguiram aprovar projetos e medidas que auxiliaram o estado a enfrentar a pandemia. “Precisamos agora falar do presente e do futuro para que a vida continue. E para a vida continuar, a capacidade gerencial do estado foi mantida, apesar das circunstâncias e da redução do ritmo da economia”, declara.

Economia

O governador falou também da recuperação da economia e da união de forças com o empresariado para que sejam mantidos os investimentos, única forma, segundo o gestor, de aliviar o sofrimento humano e o desassossego social que o desemprego provoca.

“Sergipe está atravessando o limiar que nos conduz ao almejado equilíbrio das receitas e despesas. Agora os alicerces estão construídos para que seja criada a indispensável segurança e o ambiente propício para uma presença maior do Governo no desenvolvimento econômico e social, visando retomar o crescimento e gerar empregos”, ressalta.

Petrobras

Belivaldo destacou os impactos provocados pela saída da Petrobras de Sergipe e informou que o Estado vai fazer a avaliação da devastação social, ambiental e econômica causado pela desativação intempestiva de campos produtores do estado por parte da estatal.

“Foi um golpe muito duro e que se consumou com um grande procedimento de urgência. De repente, nada que tinha aqui tinha mais importância para a petroleira. Não se faz uma suspenção abrupta de atividades, numa retirada danosa da economia de um ente federado, sem antes justificar detalhado e minunciosamente, como foi feito aqui”, declara.

O Governador afirma que as expectativas para o plano de aproveitamento das jazidas de águas profundas de óleo e gás continuam mantidas, e que a petrolífera Exxonmobil continua operando no litoral sergipano.

“A possibilidade de Aracaju retornar a ser um polo das atividades dessas empresas, além de multiplicação de investimentos correlatos, é que nos move no sentido de reduzir um impacto econômico e social dessa retirada da Petrobras sem respeitar o que diz a Constituição sobre a responsabilidade da empresa privada e a coletividade”, finaliza.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais