Aracaju é integrada ao Pronasci

0

Momento da assinatura/Fotos: Lízia Martins/AAN

O ministro da Justiça, Tarso Genro e o prefeito Edvaldo Nogueira, firmaram na manhã desta quinta-feira, 2, convênio de cooperação federativa com o objetivo de formalizar a entrada de Aracaju no Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).  A solenidade foi realizada no Centro Administrativo Aloísio de Campos e a capital sergipana é a terceira a ingressar no programa.

 

Para o prefeito Edvaldo Nogueira, não deixa de ser um momento importante para a capital brasileira da qualidade de vida. “É fundamental que possamos pensar e trabalhar cotidianamente e conjuntamente, Estado, município e União, encontrando caminhos para construirmos um novo modelo de segurança pública no nosso país”, acredita.

Edvaldo Nogueira: “cidadão tratado com dignidade”
Edvaldo destacou que fatos históricos demonstram que a segurança pública no Brasil foi tratada de maneira unilateral durante muitos anos, notadamente no período da ditadura militar, quando toda e qualquer possibilidade de manifestação de cidadania era reprimida pela força.

“Esse modelo ficou impregnado no povo brasileiro e o Estado trabalhou durante muitos anos com essa visão de segurança repressora. A criação do Pronasci é um fato extraordinário porque agora passamos a ter uma visão de segurança pública que trata o cidadão com dignidade. O Programa irá permitir um enfrentamento da questão da segurança pública de maneira moderna e atual”, enfatiza.

Enfrentamento à criminalidade

Desenvolvido desde 2007, o Programa tem o propósito de aliar ações sociais preventivas no enfrentamento à criminalidade. O público-alvo é formado por jovens de 15 a 29 anos que se encontram em situações de risco. Até 2012, o Programa investirá R$ 6,7 bilhões em todo o país, através de projetos que funcionarão de forma integrada, atuando no cotidiano das comunidades.

Recursos vultosos

Na solenidade, o ministro da Justiça Tarso Genro disse que o Pronasci começa em 11 regiões metropolitanas, sendo um programa instituído por uma lei federal aprovada por unanimidade pela Câmara dos Deputados e pelo Senado, que destina vultosos recursos para a área de segurança pública.

“Estamos iniciando uma mudança cultural, institucional, política e financeira na questão da segurança pública que visa construir não somente novas técnicas, mas também uma nova cultura, em que a segurança não é considerada apenas uma questão policial, mas também de políticas preventivas”, garante Tarso Genro.

Com Informações da AAN

Comentários