CUT e Sindicatos lamentam ataque de Bolsonaro a radialista de SE

0
Bolsonaro veio a Sergipe para solenidade em Propriá (Foto: ASN)

A Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), o Sindicato dos Radialistas de Sergipe e a Federação Interestadual de Trabalhadores em Empresas de Rádiodifusão e Televisão (Fitert) se manifestaram na tarde desta quinta-feira, 28, lamentando o ataque desferido pelo presidente Jair Bolsonaro ao radialista Marcos Couto, da Fan FM.

Bolsonaro veio a Sergipe para participar da solenidade de abertura de tráfego da nova ponte sobre o Rio São Francisco na BR-101, que Sergipe e Alagoas. Logo na sua chegada, no Aeroporto de Aracaju, o radialista Marcos Couto questionou o presidente sobre a polêmica do leite condensado. O presidente respondeu dizendo que o leite condensado “é pra enfiar no rabo dos jornalistas”.

A mesma frase já havia sido dita por Bolsonaro na última quinta-feira, 27, durante almoço com famosos. O ponto de partida para o escândalo do leite condensado foi a publicação do Portal da Transparência, revelando que o Governo Federal gastou, somente em 2020, R$ 15 milhões com o produto.

Por meio de nota, a CUT disse que Bolsonaro mostrou falta de preparo, agressividade, desrespeito ao jornalismo e, alertou que, como chefe do Executivo, ele tem a obrigação de responder à imprensa e garantir transparência na sua atuação política, bem como prestar contas a respeito da utilização de verba pública, arrecadada para retornar à população através de serviços públicos nas mais diversas áreas.

“O uso da verba pública é assunto da imprensa. Diante de um escândalo nacional, é papel do jornalista perguntar e é obrigação do presidente responder com respeito e consideração pela atuação profissional da imprensa”, defendeu a CUT.

O Sindicato dos Radialistas de Sergipe e a Federação Interestadual de Trabalhadores em Empresas de Rádiodifusão e Televisão (FITERT) emitiram nota de repúdio e destacaram ao se expressar de tal forma contra um profissional no exercício da sua função, o presidente mais uma vez ataca de forma grosseira e chula os membros da imprensa, cuja obrigação é questionar de forma objetiva as autoridades sobre fatos que são de repercussão e interesse da coletividade.

“O presidente da República mais uma vez comete gravíssimo crime contra a democracia e a liberdade de imprensa. Essa prática reiterada de desrespeito do senhor Jair Bolsonaro contra a imprensa é um estímulo para que cidadãos se veem liberados para agir contra os profissionais da imprensa Radialistas/Jornalistas”.

Por Verlane Estácio com informações da CUT e do Sindicato dos Radialistas

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais