Déda concede aumento de 24% aos policiais

0

Déda anuncia aumento no Palácio de Veraneio

“O diálogo fluiu. Quando se trouxe o feito à ordem, o processo chegou a uma solução”.  Foi o que afirmou o governador Marcelo Déda (PT), ao anunciar no início da noite desta segunda-feira, 29, o reajuste médio de 24% em maio de 2009 e de quase 80% escalonado. Representantes das Associações Unidas dos Oficiais Militares só comentarão o reajuste na tarde desta terça, 30, após assembléia com toda a categoria.

Com o novo aumento para policiais militares e bombeiros, um coronel que recebe R$ 9.539, 71 passará a ganhar R$ 12.401.62 em dezembro de 2010.  Um tenente coronel ganhará em dezembro de 2010, R$ 10.784,02;  Um major, R$ 9.885,35, um capitão, R$ 8.599.70, 1º tenente, R$ 7.166, 41, 2º tenente, R$ 5.733.  Um aspirante, R$ 5.512, um subtenente, R$ 4.793, 1º sargento, R$ 4.565, 2º, R$ 4.004 e 3º sargento, R$ 3.512, 87.  Um cabo rceberá R$ 3.193, 52 e soldado 1ª classe, R$ 3.012, 75. soldado engajado, R$ 2.925 e não engajado, R$ 2.437.

A nova proposta de reajuste dos militares será encaminhada ainda esta semana para a Assembléia Legislativa e os deputados deverão estar votando, sem custo extra, como fez questão de ressaltar o governador, provavelmente a partir de 15 de julho. “O reajuste será aplicado aos salários de Abril. Em julho, os militares receberão o reajuste de julho, mais a diferença de maio e junho”, explica.

Serão incorporadas ao soldo a Gratificação de Compensação por Serviço Externo (Gracoex) e a Gratificação de Atividade Militar (Gam).  Os militares da reserva que não recebiam a Gracoex, passarão a receber os respectivos valores, tendo sido reestruturados os escalonamentos verticais. “Eu não tenho dúvidas de que é o melhor reajuste do Nordeste, sendo a primeira parcela de 24% agora e o restante, escalonado”, acredita Marcelo Déda.

Deda: “É o melhor reajuste do Nordeste”
Na ocasião, o governador destacou que no final, estará assegurado um acréscimo médio de 80% para os praças e oficiais intermediários e de 40% para os oficiais superiores, sem considerar os triênios.  Com os triênios, o acréscimo médio passa para 92%, com variação entre 64% (oficiais superiores) até 110% nas demais graduações. “A folha de abril de 2009 foi de R$ 22.192.253 e a folha de dezembro de 2010, será de R$ 43.668.748, em um acréscimo R$ 21.476.494”, ressalta acrescentando que a folha vai praticamente duplicar.

Reuniões

O governador disse ter passado toda a manhã desta segunda-feira, 29 reunido em sua residência com o secretário da Fazenda, João Andrade, para discutir a nova proposta de reajuste.  “Trouxemos a nova tabela para mais uma reunião agora à tarde, desta vez com o comandante da PM, coronel Pedroso, com o secretário João Eloy e os secretários de Administração, Jorge Alberto e da Fazenda, João Andrade.  Não impus nenhuma restrição ao coronel Pedroso, que reuniu a sua tropa com muita lealdade e segurança na tarefa do diálogo.  Foi um processo de diálogo construído ao longo de 30 dias sempre levando em conta as limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e finalizado hoje”, enfatiza Déda.

Compromissos

Durante a coletiva, Déda disse ainda que “como governador, não posso permitir que o estado assuma compromisso que fique impossibilitado de cumprir ou seja obrigado a fazer demissões porque não cumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal.  No Brasil moderno, quem quiser servir aos servidores tem que ter a régua e compasso da LRF”, afirma.

Marcelo Déda cobrou ao final da coletiva, uma nova Polícia Militar. “Esperamos uma Polícia Militar mais eficiente, disciplinada com hierarquia para recuperar o seu prestígio junto a população.  Essa é a contrapartida que o Governo tem de cobrar”, entende.

Anúncios

Déda anunciou também que em agosto estará deflagrando o processo de discussão em torno da Lei de Organização Básica da Polícia Militar de Sergipe.  “Ela fixa o efetivo, organiza, ou seja, vamos ter como saber por exemplo, quantos coronéis existem na corporação”, garante.

“Vamos editar o Código de Ética e Disciplinar da PM. Não vamos mais usar o regulamento do Exército. Isso num patamar de respeito à sociedade”.

Comando

Para o comandante da Polícia Militar de Sergipe, coronel José Carlos Pedroso, o reajuste “atende aos anseios da corporação e os limites do Governo, quanto à Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Por Aldaci de Souza

 

 

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais