Direitos às mulheres policiais discutidos em Tribuna Livre

0

Patrícia, Relações Públicas da PM (Fotos: Alberto Dutra)
A Associação Integrada de Mulheres de Segurança Pública em Sergipe (ASIMUSEP-SE) teve espaço garantido na Tribuna Livre requerida pelo vereador Moritos Matos (PDT) nesta segunda-feira, 29. A luta pela defesa dos direitos e adaptação dos espaços para as mulheres que atuam na Defesa Pública no Estado de Sergipe foi o tema tratado por aquelas que integram a referida associação.

Criada em 4 de setembro do presente ano, a ASIMUSEP-SE tem o propósito de reduzir as disparidades encontradas por estas mulheres nas corporações onde elas atuam. Esteve presente à esta Tribuna Livre a vice-presidente da associação, Juciene

Georlize Oliveira: “Queremos planejamento lojístico”
Pache; as conselheiras fiscais da ASIMUSEP-SE, as doutoras Georlize Oliveira Costa e Elisângela Bonifácio; Maria Egna, que também faz parte da cúpula da ASIMUSEP-SE; e a Relações Públicas da Polícia Militar, Patrícia Rodrigues.

Abrindo as participações na Tribuna, a Relações Públicas da PM, destacou os avanços já alcançados pela categoria feminina no âmbito da Defesa Pública, à exemplo da obtenção dos coletes anti-balísticos adequados ao corpo feminino e a presença da força feminina na batalha contra o crime travada no Rio de Janeiro, mas reforçou que ainda há muito a se conquistar.

Matos destacou o assédio moral e o assédio sexual contra as militares
“Somos bravas defensoras do patrimônio e da segurança em nosso Estado, mas ainda sofremos com a falta de estrutura nos postos de serviços onde trabalhamos. Precisamos contar com uma estrutura que se adapte e compreenda as necessidades e especificidades da mulher: faltam banheiros e vestiários femininos. Muitas vezes somos obrigadas a compartilhar dos mesmos banheiros e vestiários que os homens”, pontuou Patrícia em um dos momentos de seu discurso.

A Drª. Georlize Oliveira Costa evidenciou que a ASIMUSEP-SE é um espaço de luta que visa garantir que a mulher que trabalha na Segurança Pública de Sergipe possa ser vista em suas especificidades. “Não queremos promover uma competição com a categoria masculina, mas buscar a igualdade de condições de trabalho entre homens e mulheres. Queremos planejamento logístico operacional de modo que se perceba a necessidades especiais d as mulheres que tem uma atuação recente nas forças de defesa pública”, disse.

O vereador Matos lembrou a questão dos assédios moral e sexual que as mulheres das polícias militar e civil acabam sofrendo dentro das corporações, “Acredito que esse seja um problema constante que vocês são obrigadas a lidar. Parabenizo-as pela luta para assegurar o seus espaços muita vezes tomados pelo machismo”, ressaltou.

Os parlamentares Magal da Pastoral (PT), Jailton Santana (PSC), Rosângela Vieira (PT), Simone Góis (PT) e Josenito Vitale(DEM)  também fizeram uso da palavra parabenizando a iniciativa na construção da associação que defende as mulheres da Segurança Pública deste Estado e manifestando ainda o reconhecimento do papel da mulher em todos os segmentos profissionais na sociedade atual.

Fonte: Ascom CMAju

Comentários