Emília aciona a Justiça cobrando efetivação da Procuradoria da Mulher

0
A vereadora disse que já ingressou com um mandado de segurança (Foto: Gilton Rosas)

“Cansei de esperar”. De forma objetiva, ao utilizar a Tribuna do Legislativo Municipal, a vereadora Emília Corrêa (Patriota) falou em alto em bom tom que já deu entrada no Mandado de Segurança Pública para que seja cumprido o que ficou  estabelecido na Resolução n.4/2020 e, reforçado em reunião com o presidente Nitinho Vitalle (PDT) na qual, seria de responsabilidade da Casa disponibilizar a parte de Recursos Humanos para o início dos trabalhos do órgão.

“Esperei muito. Ouvi. Pedi. Solicitei. Requeri e cobrei diversas vezes nas redes sociais enquanto estávamos de maneira remota, fiz isso também durante os discursos no plenário virtual, usei todos os recursos e o que estava ao meu alcance, mas não fui ouvida. Ignoraram todos esses pedidos. Agora, não dá mais para esperar, e fiz o que faço no meu mandato quando não sou ouvida: recorro a justiça”, afirmou a oposicionista.

Emília relembrou que foi necessário fazer isso uma vez para que o Regimento Interno fosse cumprido, surtiu efeito. “Interessante que logo depois o Regimento começou a ser respeitado. Numa audiência rápida tudo se resolveu. Quem sabe não funcione também dessa vez e com a Procuradoria seja assim”, ressaltou.

A vereadora lamentou o fato de ter que acionar a justiça para o cumprimento da Resolução n.4/2020 mas enfatizou, que, por estar decidida em materializar o órgão, a atitude foi necessária. “É muito feio um Poder ter que recorrer a outro para que a regra da Casa seja cumprida. Mas não vou mais esperar. Estou sendo incessantemente cobrada. Têm situações que a gente vai perdendo a confiança quando fica só em discursos, e a gente tem que tomar outras providências, foi o que eu fiz”, declarou.

 

Fonte: Assessoria da Parlamentar 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais