Gilmar que que Governo compre folgas dos Policiais

0
Gilmar Carvalho (Foto: Maria Odilia/Arquivo Portal Infonet)

Na sessão desta terça-feira, dia 20, o deputado estadual Gilmar Carvalho (SDD) informou que na próxima semana vai apresentar uma indicação sugerindo ao governo do Estado que novamente compre as folgas dos policiais militares que se dispuserem a vendê-las. O parlamentar disse que está preocupado com a segurança da população, que tem se tornado cada vez mais falha, no seu entendimento.

Para Gilmar, essa indicação tem a intenção de tentar chamar a atenção do governo do Estado para esse problema. O deputado lembrou que na semana passada 20 bandidos invadiram a cidade de Carira, na madrugada, e estouraram o cofre do Banco do Brasil e, no momento da ação, não tinha um policial em todo município. “Tinham sido escalados dois policiais militares, mas que, oficialmente, foram deslocados para a região de Itabaiana, para outra operação”, revelou.

Segundo o deputado, o efetivo da Polícia Militar tem ficado cada vez menor. “Daqui a pouco, vai ficar igual ao salário mínimo, como dizia o humorista”, acrescentou, fazendo referência ao personagem Professor Raimundo, do humorista Chico Anísio.

Pela indicação que irá apresentar, Gilmar Carvalho pretende sensibilizar o governo para que mais uma vez volte a comprar as folgas dos militares que se dispuserem a vender. O deputado defende que se tenha critérios bem definidos para que o policial possa receber esses valores. “Ou seja, se o efetivo é pequeno, cada vez menor, que o governo compre as folgas, porque este ano o efetivo é menor que o do ano passado, mesmo com o concurso realizado no final do ano passado”, observou. Gilmar disse ainda que vamos encerrar 2014 com menos 400 a 600 policiais militares, com relação ao que tínhamos no ano passado.

Fonte: Agência Alese

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais