Mais cinco municípios com novos prefeitos

0

Além de Riachão do Dantas (SE), mais cinco cidades brasileiras terão novos prefeitos a partir de hoje, 19. Enquanto a política gira em torno das eleições de outubro, com a escolha do novo governador, deputados estaduais e senadores, essas seis cidades se movimentavam para as eleições suplementares que levaram cerca de 130 mil eleitores às urnas no último domingo, 18.

Apiacá (Espírito Santo)

Humberto Alves dos Santos (PRP), o Betinho, ganhou com 59% dos votos válidos no município, num total de 2.687 votos. O candidato João Guizzi (PSDB) ficou em segundo com 1.545 votos, o que representa 34,28% do total apurado. Em terceiro lugar, o candidato Paulo de Tarso Figueiredo (PT) obteve 275 votos (6,10%). Brancos e nulos somaram 167 votos.
Em agosto de 2009, o TRE cassou o mandato do peemedebista José Chierici Filho e de seu vice, Acyr Baptista Laurindo (DEM), além de quatros vereadores e um suplente José Chierici Filho (PMDB), por abuso de poder econômico e de autoridade. Eles teriam fornecido materiais de construção e feito a reforma na casa de eleitores.

Araras (São Paulo)

Com 56,3% dos votos válidos, Nelson Brambilla (PT) foi eleito o novo prefeito de Araras, na região Central do Estado de São Paulo. Com a coligação “Araras, o futuro é agora”, Brambilla, que exerce o cargo de prefeito interino, obteve 37.746 mil votos válidos, contra 29.242 (43,6%) do candidato Pedro Eliseu (PSL). Votos brancos somaram 2.090 e nulos 3.278. De acordo com dados dos Cartório Eleitoral, 16.756 pessoas não compareceram à votação.

Em Araras, de acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, a nova eleição foi convocada depois da condenação do prefeito eleito em 2008, Pedro Eliseu Filho, e seu vice, Agnaldo Píspico, ambos do DEM, por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

São Francisco (Maranhão)

O candidato Francisco Ademar dos Santos (DEM), da coligação “A Vontade do Povo”foi eleito com 67,48% dos votos válidos. O que corresponde a 3.777 votos.
Valdivino Alves Nepomuceno (PDT) da coligação “A Força Que Vem do Povo” obteve 32,52%. O que corresponde a 1.820 votos. Dos 8.636 votantes cadastrados na Justiça Eleitoral, 2.421 não compareceram às urnas. O que representa 28,38% do eleitorado.

Em São Francisco do Maranhão, os cerca de 8,5 mil eleitores tiveram que voltar às urnas pela segunda vez em uma eleição complementar. Em janeiro, o TRE do estado decidiu pela cassação do prefeito e vice-prefeito eleitos, Jônatas Alves de Almeida e Alberone dos Santos Silva. Houve nova eleição em fevereiro, mas o TSE anulou o pleito porque só participaram eleitores que haviam votado em 2008, contrariando a lei.

Isaías Coelho (Piauí)

A candidata da coligação “A força e a voz do Povo” (PMDB, PTB, DEM, PT), Maria do Espírito Santo venceu as eleições na cidade de Isaías Coelho. Com 100% das urnas apuradas, a peemedebista contabilizou 2.516 votos contra 2.131 do seu adversário, Waldemar Mauriz Filho (PSB). Uma diferença de 385 votos. A apuração encerrou às 18h49.

Foram registrados ainda 29 votos brancos e 289 nulos. Um número impressionante foi o de abstenções: 1.320, o que corresponde a 21% dos aproximadamente 6.250 eleitores da cidade

Nossa Senhora dos Remédios (Piauí)

O candidato Francisco Pessoa de Brito foi eleito com 2396 votos, contra 1877 de Pedro Pereira e 978 votos de Carlos Alberto. Votos brancos somaram 59, nulos 269. Foram apurados 5.579. A abstenção foi de 14,93%, ou 979 pessoas deixaram de votar.

Nossa Senhora dos Remédios possui 6.558 eleitores. São 19 sessões eleitorais espalhadas por sete locais de votação, sendo cinco na zona urbana e dois na zona rural. Disputaram o voto  Carlos Alberto Fortes Couto (PP), Francisco Pessoa de Brito (PSDB) e Pedro Veras (PTB), que assumiu a vaga ontem de Valdir Filomeno da Rocha (PT). Ele desistiu da candidatura alegando problemas de saúde.

Os dois municípios do Piauí com eleições suplementares também tiveram os prefeitos cassados. Em Nossa Senhora dos Remédios, o ex-prefeito Ronaldo Lages foi detido, acusado de perturbar a eleição. Em Isaías Coelho, a votação foi acompanhada por tropas federais, autorizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para tentar conter a tensão entre as coligações que disputam a prefeitura.

Fonte: Com informações dos sites Gazeta online; EPTV.com; o Imparcial e Acesse Piauí

Comentários