Partido não pode fazer coligações diferentes

0

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral de não admitir que os partidos façam coligações diferentes ao Senado e ao Governo Estadual ameaça candidaturas nos Estados. Na avaliação das legendas, a decisão deixa a eleição mais polarizada em torno de partidos maiores, que dispõem de mais tempo de TV, e, portanto, tem maior influência sobre a definição dos candidatos da aliança.

O Tribunal afirmou que as legendas que se coligarem ao governo do Estado só podem lançar dois candidatos ao Senado. Com isso, alianças onde há três nomes ou mais para o cargo terão que fazer opções.

A decisão pode prejudicar a candidatura a reeleição do Senador Almeida Lima. Ele é do PMDB, partido que está na coligação de Deda, que deve apresentar dois candidatos apenas – no caso, possivelmente, os senhores Antonio Carlos Valadares e Eduardo Amorim. Se a coisa estava complicada, agora complicou mais ainda…


Por Ivan Valença

Comentários