Velho Chico: “Falta vontade política para resolver”, diz Ailton Rocha

0
Superintendente da Semarh, Ailton Rocha, esteve na Alese falando da situação do Velho Chico(Foto: Jadilson Simões)

A atual situação do rio São Francisco foi exposta na manhã desta quinta-feira, 6, no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe, pelo superintendente estadual de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Ailton Rocha. A propositura é de autoria da deputada Maria Mendonça (PSDB) dando prosseguimento à Semana do Meio Ambiente. Segundo ele, o rio São Francisco está numa situação muito preocupante, precisando de providências imediatas no sentido de evitar um colapso. Para se ter uma ideia, existe uma redução de 300 metros cúbicos na sua calha em apenas dez anos.

“O rio São Francisco está agonizando, não só em decorrências de possíveis contaminações de mineradoras, mas do desmatamento, da poluição de afluentes domésticos e industriais”, lamenta lembrando a importância do São Francisco não só para os estados por ele banhado, mas para o Brasil.

Ailton Rocha informou que existem vários estudos com o objetivo de recuperar o rio. “Mas está faltando vontade política para resolver os problemas que o afligem, pois mais do que nunca o rio São Francisco clama por sua revitalização”, enfatiza alertando que há um ledo engano avaliar o São Francisco apenas por sua calha.

Garantidor de águas

Na oportunidade, o superintendente de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, destacou que o rio São Francisco é responsável por 99, 8% do potencial hídrico no estado de Sergipe.

“As demais bacias hidrográficas que compõem o nosso estado são deficitários, então a demanda é maior do que a oferta. Na verdade o grande garantidor de águas para o estado é o São Francisco. Tanto que Sergipe conseguiu numa decisão muito acertada, implantar uma malha de mais de 4 mil quilômetros de adutora, socializando a água do rio São Francisco para outras regiões do estado, inclusive Aracaju e grande Aracaju, com 65% abastecida Por esse rio”, afirma.

Dependência

De acordo com Ailton Rocha, a dependência dos sergipanos com relação do rio São Francisco é muito grande. “O rio é indispensável para o nosso desenvolvimento; no atendimento não só para o desenvolvimento humano, mas também para a indústria e para a irrigação. Eu tenho dito que o rio São Francisco está para Sergipe, como o mar da Galileia está para Israel, devido a sua relevância. A gente precisa mais do que nunca preservá-lo para ter essa garantia hídrica sem maiores sobressaltos, inclusive com relação à qualidade das suas águas”, diz parabenizando a deputada Maria Mendonça por trazer um tema tão relevante.

Assoreamento

A deputada Maria Mendonça lamentou o assoreamento no rio São Francisco. “O rio São Francisco vem sendo bastante assoreado. Nós temos situações que demonstram o quanto o rio está sendo agredido; tivemos essa situação lamentável lá em Brumadinho, em Minas Gerais, que estava na iminência de os rejeitos chegarem até o rio e isso nos preocupou. Convidamos o superintendente de recursos hídricos, Ailton Rocha para nos dizer como se encontra o rio São Francisco no momento atual, para que depois a gente possa fazer uma audiência pública, convidando a sociedade, as instituições e os entes nas três esferas para discutirmos a degradação do rio, que terá como consequência, penalidades para a população sergipana”, alerta.

Fonte: Alese

Comentários