Acidentes de moto fazem mais de 1.430 vítimas no 1º trimestre em SE

0
Aracaju ocupa o primeiro lugar no número de acidentes com moto (Foto: Ricardo Pinho/ SES)

O Núcleo Interno de Regulação, Dados e Informações (NIR) do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) registrou no primeiro trimestre de 2019 atendimento a 1.430 vítimas de acidentes motociclístico. A capital sergipana ocupa o primeiro lugar nesse ranking com 457 pessoas acidentadas, seguida por Nossa Senhora do Socorro com um total de 174 vítimas das motocicletas.

O terceiro município que mais registrou vítimas de acidente motociclístico foi São Cristóvão, com 93 atendimentos, seguido da cidade de Estância, com 49 vítimas atendidas. Na sequência estão Itaporanga d’Ajuda, com 46 casos registrados, Lagarto com 44 motociclistas atendidos, Itabaiana com 40 vítimas, Barra dos Coqueiros com 20 atendimentos, entre outros municípios sergipanos.

Dos atendimentos registrados no Huse nesse primeiro trimestre, 1.146 foram a vítimas de acidente motociclístico do sexo masculino e 284 vítimas do sexo feminino. As idades variam de 9 a 79 anos e as que mais se destacaram foram as do sexo masculino, com idades entre 20 e 29 anos, totalizando 431 atendimentos por acidente motociclístico.

De acordo com o coordenador da Escola Pública de Trânsito (EPTran) do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/SE), Lacerda Júnior, ações voltadas para os motociclistas estão sendo intensificadas.
“ Houve um aumento de 40% no número de acidentes com motos no primeiro semestre desse ano comparado ao mesmo período de 2018. Em Aracaju, em 2018, foram registradas 44 mortes no trânsito, 22 foram de motociclistas, sem contar os registros no resto do estado. Esse ano o motociclista será o foco da Semana de Trânsito, que acontece em setembro, e estamos fazendo levantamentos dos locais em que mais esses acidentes acontecem porque esses dados são preocupantes”, afirma.

Lacerda conta que o Detran/Se vem fazendo estudos e desenvolvendo ações voltadas para os motociclistas, e que vai convidar outros órgãos para firmar parcerias e juntos desenvolver um trabalho voltado para conscientização e redução dos números de acidentes de trânsito. “Vamos em busca de parcerias, em especial com a Secretária de Saúde e Samu, que são órgãos que lidam diretamente e que cuidam desses acidentados. Também vamos buscar a iniciativa privada para juntos combatermos e mudarmos essa realidade”, adianta.

Por Karla Pinheiro com informações da ASN

Comentários