Amparo de Maria: trabalhadores protestam contra atraso nos salários

0
Protesto ocorreu nesta quarta-feira, 19 (Foto: Sergipe Notícias)

Os trabalhadores do Hospital Amparo de Maria, localizado em Estância, fizeram um protesto na manhã desta quarta-feira, 19, para denunciar que continuam com os salários atrasados. Houve paralisação, mas os serviços já foram retomados e os atendimentos à população continuam normalmente.

O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) informou que ainda estão pendentes o 13º, parte dos salários do mês de abril e todos os salários do maio. “Apenas foram pagos os salários de abril com valores até R$ 1000. Então, praticamente, a maior parte dos trabalhadores estão há dois meses sem salário. Tem gente que só tem um emprego e depende desse dinheiro para sobrevive”, lamenta Adailton dos Santos, um dos diretos do Sintasa.

O Sintasa estima que pelo menos 300 trabalhadores, entre técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos e técnicos administrativos, estão sendo prejudicados com os atrasos salariais. Na manifestação de hoje, as categorias se unirem e usaram faixas pedindo que autoridades políticas de unam para solucionar a situação. “Infelizmente, em toda essa situação, quem sofre são os trabalhadores e a população, que muitas vezes, em virtude das greves, ficam sem atendimento”, comenta Adailton.

Hospital Amparo de Maria

O diretor interventor, José Magno, explicou a situação financeira da unidade hospitalar. De acordo com ele, o hospital tem uma dívida de R$ 150 milhões acumulados ao longo das antigas gestões, que foi “suspensa” por um período de 15 anos devido a adesão ao Programa de Fortalecimento das Entidades Privadas Filantrópricas e das Entidades Sem Fins Lucrativos (PROSUS). O gestor afirmou que o hospital luta para sobreviver e para ao final desse prazo, que se encerra em 10 anos, ter a dívida perdoada.

Ainda segundo José Magno, o hospital voltou a ter problemam em 2017, quando o poderes Municipal e Estadual deixaram de priorizar a regulação de pacientes para a unidade, que recebe recursos por meio de produtividade. Foi nesta época, que os pagamentos a funcionários e credores voltaram a ficar irregulares.

O interventor afirmou que o Governo está em dia com o hospital, porém, os salários atrasam porque não há recursos em caixa, e o direção depende dos recursos do Estado – que são enviados 75 dias após a realização dos serviços – para pagar funcionários e fornecedores.

José Magno afirmou que não há previsão para total regularização dos salários, mas explicou que o governador Belivaldo Chagas solicitou uma auditoria, com objetivo de esclarecer a situação e obter uma solução para o hospital.

SES

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que está rigorosamente em dia com o Hospital Amparo de Maria (Hram) e que o repasse é feito mensalmente, após a conferência do relatório de produtividade enviado pela unidade hospitalar. Ainda segundo a SES, somente em 2019, foram pagos mais de R$ 4,5 milhões ao Hram, sendo R$ 424 mil em abril, R$ 991 mil em maio e R$ 747 mil em junho.

por Verlane Estácio

Comentários