Aposentada realiza primeiro transplante de medula óssea em Sergipe

0
A paciente teve alta no último final de semana e já está em sua residência (Foto: divulgação)

Uma notícia positiva em meio à pandemia mundial do Coronavírus: a pedagoga aposentada Maria Aldinete Santos conseguiu realizar o primeiro transplante autólogo de medula óssea em Sergipe. A cirurgia foi realizada dia 18 de novembro, no Hospital São Lucas, seguindo todos os protocolos de segurança contra a pandemia. A paciente teve alta no último final de semana e já está em sua residência.

A funcionária pública Maria Aldinete Santos, de 53 anos, portadora de Mieloma Múltiplo, passou pelo procedimento cirúrgico após liminar concedida pela 18ª Vara Cível de Aracaju, que de forma inédita determinou que o IPESAÚDE custeasse o transplante de medula óssea autólogo. “Em virtude da negativa inicial do plano de saúde em custear o transplante, tivemos que ingressar com uma ação judicial para garantir o direito da paciente.”, explica o advogado Yuri Lobão, do escritório DAS Advogados.

Etapas do transplante

De acordo com os especialistas, transplantes autólogos são aqueles em que o próprio indivíduo é doador das células-tronco que serão infundidas, com o objetivo de tratar doenças como linfomas, tumores sólidos e mieloma múltiplo.

A primeira etapa para o transplante é a coleta das células-tronco. Em seguida o paciente é submetido a sessões de quimioterapia com a finalidade de destruir a medula doente. Após esta fase, é feita a infusão das células-tronco que foram retiradas do paciente.

A infusão é por um cateter semelhante a uma transfusão de sangue. O paciente permanece internado monitorando o quadro clínico. A enxertia medular é confirmada quando o organismo começa a produzir novas células sanguíneas.

Fonte: Assessoria de Imprensa 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais