Coronavírus: secretaria monitora oito pessoas que chegaram da China

0
Secretária diz que equipes farão monitoramento por mais quatro dias (Foto: Portal Infonet)

Há 14 dias, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) monitora a situação de oito pessoas de três famílias diferentes que residiam na China e retornaram a Aracaju no início do mês de fevereiro. A SMS ainda não trata as famílias como suspeitas de contrair o coronavírus, mas as monitora com o intuito de descartar a hipótese de transmissão da doença em solo sergipano.

Os detalhes foram apresentados ao Portal Infonet na manhã desta quinta-feira, 27, pela secretária Waneska Barbosa, a qual explicou que os envolvidos são naturais de Aracaju, mas residiam há cerca de um ano e meio na China. Ela também detalhou as etapas de monitoramento que foram e estão sendo efetuadas pelas equipes epidemiológicas da SMS. “Nós tivemos a informação de que eles chegaram em Aracaju no dia 13 e conseguimos o telefone de uma dessas pessoas, cujo prefixo é da China. É com essa pessoa que estamos fazendo contato e o monitoramento diário dele e das outras sete pessoas. As orientações envolvem a atualização se algum deles apresentou sintomas”, salienta a secretária.

Conforme Waneska, até o momento nenhum dos monitorados foi submetido a realização de exames por não apresentar sintomas típicos da doença. A hipótese de contaminação está na fase final de descarte e a situação, portanto, não é considerada de suspeita. “Em tese, esses 14 dias já encerrariam [as suspeitas dos casos], mas vou pedir que a equipe monitore mais alguns dias, fechando os 18. Eles não são considerados suspeitos, porque não tiveram nenhuma sintomatologia, apenas a confirmação de que vieram da China”, complementa.

Na manhã da última quarta-feira, 26, o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso de coronavírus do país. A vítima retornou de viagem na Itália, onde esteve durante o ápice da descoberta dos primeiros casos no país. A notícia, segundo a secretária Waneska Barbosa, gera impactos também em Aracaju, tendo em conta que o monitoramento da SMS deixa de ser exclusivo para recém-chegados da China e engloba também os recém-chegados da Itália e de outros países com indícios de proliferação do vírus.

por Daniel Rezende

Comentários