Covid-19: veja os cuidados em casa ao conviver com alguém infectado

0
Segundo a médica de Família e Comunidade, Luciana Guimarães, uma das principais medidas é o isolamento do familiar em algum cômodo da residência (Foto: Freepik)

Com o número cada vez mais crescente do novo coronavírus (Covid-19) em Sergipe muitas pessoas acabam ficando na dúvida em como se comportar em casa depois do diagnóstico da doença em algum familiar. Segundo a médica de Família e Comunidade, Luciana Guimarães, uma das principais medidas é o isolamento do familiar em algum cômodo da residência.

“O uso da máscara é essencial”, pontua Luciana (Foto: arquivo pessoal)

“É preciso que a pessoa que tenha testado positivo para a doença cumpra o distanciamento isolada em algum cômodo da casa”, orienta a médica. Luciana diz ainda que é importante fazer o uso da máscara por alguns familiares nos momentos em que a pessoa infectada estiver compartilhando determinados ambientes. “O uso da máscara é essencial”, pontua Luciana.

A profissional também explica que além do isolamento do familiar em um cômodo da residência, seria interessante também o doente usar um banheiro isoladamente. “Mas caso isso não seja possível é importante higienizar o banheiro com água sanitária sempre que a pessoa utilizar. Outra dica interessante é substituir o uso da toalha de rosto pelo papel toalha”, indica.

Veja outras dicas de convivência que ela dá:

– Separar utensílios (como pratos e talheres);

– Caso não tenha condições de comprar papel toalha, reservar uma toalha para o familiar doente;

– Limpar tudo o que a pessoa doente tocar, como maçanetas, tomadas, geladeira, etc;

– Utilizar para a limpeza água sanitária, álcool e sabão;

– Fazer as refeições no quarto; evitando contato com a família.

Luciana ressalta que o período de isolamento a ser cumprido é de 14 dias. “Após esse período a pessoa já pode voltar ao contato familiar, desde que nas últimas 72h não tenha apresentado mais sintomas da doença, principalmente sob o ponto de vista respiratório”, destaca.

Contudo, caso após esse período a pessoa ainda se queixe de alguns sintomas da doença, é necessário uma nova reavaliação médica. “É importante ressaltar que o olfato e o paladar demoram geralmente mais um tempinho para voltar ao normal. Dessa maneira, é preciso atenção para os sintomas respiratórios, a exemplo da tosse. Se eles persistirem, é necessário uma nova consulta médica”, salienta.

por João Paulo Schneider 

Comentários