Diagnóstico precoce é fundamental para cura do câncer de próstata

0
Novembro é o mês dedicado a ações de conscientização da população masculina (Foto: Shutterstock)

A Associação dos Amigos da Oncologia (Amo) defende a campanha internacional ‘Novembro Azul’ com o objetivo de conscientizar a sociedade sergipana e a população de alto risco sobre o autocuidado,  a saúde do homem, e sobre a importância do rastreamento e do diagnóstico inicial do câncer de próstata.

Ainda segundo o  INCA o câncer é o principal problema de saúde pública no mundo e está entre as quatro principais causas de morte prematura na maioria dos países. A estimativa mundial destaca o câncer de próstata como o segundo câncer mais frequente em homens no mundo.

Cerca de 1,3 milhão de casos de câncer de próstata foram diagnosticados em todo o mundo só no ano de 2018. No Brasil, o INCA estima 65.840 casos novos de câncer de próstata para cada ano do triênio 2020-2022, o que corresponde a 29,2% do total de câncer em homens brasileiros. Em Sergipe, segundo Instituto Nacional do Câncer ( INCA), a estimativa é de 1.060 casos novos para cada ano do período, sendo 180 casos novos só em Aracaju.

Tratamento e Apoio

O tratamento do câncer de próstata, a depender do estágio, se inicial ou avançado, pode se resumir à cirurgia, à quimioterapia, à radioterapia e à hormonioterapia. O processo envolve médicos (urologista, cirurgião, oncologista clínico, radioterapeuta) e equipe multidisciplinar (assistente social, enfermeiro, psicólogo, nutricionista, fisioterapeuta).

AMO

A AMO, enquanto Associação de Pacientes, acolhe atualmente 3.452 pacientes com câncer entre crianças, adolescentes, adultos e idosos, oriundos da capital e interior de Sergipe e de algumas cidades próximas dos estados da Bahia, de Alagoas e Pernambuco. Usuários do Sistema Único de Saúde e em condições de vulnerabilidade social e econômica, daquele total de pacientes, 1.047 são homens e 324 deles são pacientes com câncer de próstata, em estágio inicial ou avançado, em tratamento ou no controle da doença ou, ainda, em cuidados paliativos.

Com informações da Amo

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais