Outubro Rosa: procura por exames de mamografia ainda é baixa

0
referência técnica materno-infantil Priscila Batista (Foto: Marcelle Cristinne)

O cuidado da Prefeitura de Aracaju com a saúde da mulher vai além de um mês de ações. O Outubro Rosa é o período de lembrar às mulheres para procurarem o serviço que é disponibilizado durante todo ano através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) em todas as unidades básicas da capital. Atualmente, embora tenha capacidade para realizar quase cinco mil atendimentos, são realizados apenas 33% dos procedimentos mensais de mamografias disponibilizadas pelo município.

A disponibilidade de oferta de mamografias da Prefeitura de Aracaju alcança o padrão ouro para identificação de lesões iniciais. Através de sete prestadores do serviço, são disponibilizadas 4.898 mamografias por mês, mas apenas 1.664 são utilizadas pelas mulheres. Isso significa que não há fila de espera. Mesmo assim, uma parte não comparece ao exame marcado e gera um absenteísmo de 19,45%.

Ainda que a abordagem do câncer no período de conscientização, caracterizado como Outubro Rosa, seja de fundamental importância, existem muitos itens que envolvem a saúde preventiva e para a qualidade de vida das mulheres, como: pré-natal, consultas médicas, de enfermagem e de assistência social voltadas para a gestante e o planejamento familiar, tratamentos de hipertensão, diabetes, obesidade, serviço de esterilização, orientações nutricionais e para atividades físicas, além do preventivo de câncer de colo de útero e mama.

De acordo com a referência técnica materno-infantil Priscila Batista, os exames preventivos da mulher não precisam ser encaminhados por ginecologistas. “Todo médico está capacitado para esse tipo de análise. Atuamos com a estratégia de médicos de saúde da família por complexidade e os especialistas são fundamentais na retaguarda. Inclusive, a Prefeitura está trabalhando para concentrar especialidades da saúde da mulher em uma unidade para melhorar o monitoramento dos casos e obter melhores indicadores de saúde”, afirma.

As 43 unidades de saúde do município ofertam colposcopia, conhecido como exame de lâmina, que identifica precocemente alguma lesão neoplásica de colo de útero em curso. Assim como realizam exame clínico das mamas para identificação. A depender do diagnóstico, as mulheres são encaminhadas para unidades de referência na especialidade e, em seguida, para um centro de referência de oncologia. O Ministério da Saúde indica que, se a mulher não tiver antecedentes de câncer na família, a mamografia só deve ser realizada a partir dos 50 anos. Antes dos 40 anos, o ideal é a realização de exame clínico por profissionais, até a suspeita de algum caso de lesão.

“Tudo parte da atenção básica. Esses serviços são desenvolvidos para incluir as mulheres nas suas principais necessidades e o autoexame é indicado como forma da mulher se conhecer. A mamografia, por exemplo, evita lidar com uma doença muito devastadora em estágio avançado. Se são diagnosticados precocemente, eles tem altas chances de um bom resultado. Mas a preocupação com isso tem que ser de toda sociedade, não pode ser só do poder público”, ressalta Priscila.

Fonte: PMA

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais